• We have implemented the ability to gift someone a Supporting Membership now! When you access the Upgrade page there is now a 'Gift' button. Once you click that you can enter a username to gift an account Upgrade to. Great way to help support this forum plus give some kudos to anyone who has helped you.

Qual sua filosofia de cervejeiro caseiro?

Ajude o Home Brew Talk Brasil:

Sidneyjr

Well-Known Member
Afiliado
30/1/19
Mensagens
46
Localização
Maringá-PR
Muito boa essa troca de experiências e ideais cervejeiros.

Eu sempre gostei da ideia do DIY, de praticamente qualquer coisa que dava na telha, antes de fazer cerveja já gostava de fazer alguns projetos nos finais de semana.
Esse gosto por DIY se aplica também na culinária, pois gosto de cozinhar também.
O que sempre me cativa é a ideia de entender e aprender o processo de algo novo, utilizar uma técnica diferente, experimentar uma receita nova na cozinha.
Quando comecei com a ideia de fazer cerveja em 2018, depois de um churrasco onde um amigo levou a cerveja que ele fazia, não tinha muita grana disponível, vida de estagiário era complicada, e chamei dois amigos que tinham interesse, mas sempre pulavam fora na hora que viam o investimento pra montar um sistema tri-bloco (que era o que nós conhecíamos à época).
Em 2019 eu descobri o BIAB, e decidi fazer sozinho mesmo, comprando tudo separado, montando meu equipamento com a filosofia da máxima economia e máxima praticidade. Exemplificando: comprei um refratômetro na china pelo preço de um densímetro aqui no BR, e também uso geladeira com controlador desde a primeira brassagem por falta de tempo pra controlar de outra maneira.
Fiz minhas levas de 20 litros por um ano, aprendendo o processo, inventando algumas receitas, e sempre aprendendo, seja no fórum ou com meus erros.
Quando completei um ano, logo no começo da pandemia, decidi dar o passo da carbonatação forçada, comprei meu cilindro de CO2 e montei meus agrokegs (era o que o dinheiro permitia).
Continuei minha vida cervejeira, agora muito mais prática sem lavar garrafa, engarrafar, fazer primming, etc...
Esse ano recebi um "investimento" de um tio, para comprar uma panela automatizada. Comprei uma Beermax 25, e com isso decidi complementar o investimento recebido, e para refinar meu equipamento ainda mais, montei meu kegerator com duas torneiras e comprei meus primeiros post mix.
Nas minhas últimas brassagens também iniciei a correção da água, que no meu planejamento é praticamente o último processo "novo" na minha escala de produção.

Resumindo: Sou entusiasta do ideal DIY, e fazer cerveja permite realizar isso de diversas maneiras, seja montando uma gambiarra como o agrokeg, seja montar um equipamento como fiz no início, quando comprei as peças separadas e montei a panela, o balde fermentador.
E o mais importante e satisfatório, que é fazer a própria cerveja, onde há uma infinidade de receitas, processos, ingredientes a estudar...
 
Afiliado
27/1/17
Mensagens
21
Cara! Que bola que você levantou aqui! Vou acompanhar esse tópico e quando estiver mais inspirado volto para escrever com mais detalhes, mas de supetão posso te dizer que a filosofia do caseiro é filosofia. Muitas vertentes. Tem muita gente extremamente técnica, os gambiarreiros, os alquimistas e os "just for fun". Eu tenho um pouco de todos mas no final, gosto simplesmente de ter uma cerveja que eu goste de tomar.

Independente de que rumo sigamos acho que o principal é fazer um produto que nos dê satisfação.
 

NH3

Well-Known Member
Afiliado
18/12/15
Mensagens
145
Que legal NH3. Eu pensava que todo mundo ia no sentido contrário, de aumentar a complexidade. Eu estou aprendendo com BIAB, e bom saber que pessoas mais experientes estão usando esse método e fazendo boas cervejas. Obrigado pela resposta.
Acho que muita gente relaciona aumento de complexidade com aumento de qualidade e por isso que muita gente acaba optando por complicar onde pode ser simples. Outra coisa que faz muita gente ser conservadora na hora de fazer cerveja é o medo de perder tempo e dinheiro com uma batelada ruim. Claro que ninguém quer isso, mas quem se arrisca sair do tradicional tem que ter em mente que uma hora ou outra, o resultado pode não agradar. Nessas horas, é importante ter um plano B para minimizar perdas. Num dos meus testes de fazer cerveja pelo método "high gravity", acabei queimando o mosto. Tentei consertar na fermentação, mas não deu certo. A solução para minimizar a perda foi destilar e transformar em whiskey. Não ficou um Johnnie Walker mas ficou melhor que um Natu Nobilis de boteco.
É importante entender que o processo de fazer cerveja envolve várias variáveis cuja importancia varia com a escala. Dito isso, não necessariamente um procedimento que pode ser importante numa batelada de 1000 L ou 10 000 L tem a mesma importância em uma batelada de 10 ou 20 L. Cito com exemplo a fervura, que serve para vários propósitos (isomerizar ácido-alfa, esterilizar o mosto, remover compostos de aroma indesejáveis, promover a coagulação de proteinas, ajustar o OG e por aí vai). Entendendo como ocorre cada processo separadamente é possível sair do senso comum da 1 h de fervura com 1000 W para cada 10 L e experimentar outras opções com menor (ou maior) tempo e potência sem comprometer parâmetros de qualidade tais como formação de espuma, coloração, facilidade de clarificação, amargor e aromas desejáveis e por aí vai.
 
Última edição:

Alan Pats

Well-Known Member
Afiliado
15/9/20
Mensagens
72
Localização
Jundiaí/SP
Ótimo tópico! Vamos la...
Para começar eu gosto de beber. Então, ha cerca de 9 anos atrás comecei a experimentar cervejas importadas (Inglesas, Belgas, Alemãs, Tchecas...) e percebi que no Brasil estavamos muito carentes de estilos. Enfim, sempre me interessei, lia artigos, assistia vídeos e ano passado tomei a decisão de produzir.

Não iniciei no BIAB (como normalmente se inicia), e já fui para a single vessel "automatizada". Produzo 20 litros (pela limitação do postmix), mas a panela pode me entregar 30 litros. Enfim, eu gosto de poder resgatar estilos já esquecidos pela indústria. Estilos que, infelizmente, não seriam tão comerciais quanto as que a indústria nos oferece (bock, altbier, scottish export...) Então venho melhorando meu processo pensando nisso.

A idéia é para consumo próprio, com a familia e amigos, poder acompanhar a evolução da cerveja feita não tem preço. Um dia quero criar as receitas, mas sempre dentro dos estilos. SInceramente não me prendo muito a detalhes tão técnicos, pois (na minha opinião, claro) a gente fica muito critico a procura da perfeição e acaba perdendo o tesão de curtir uma cerveja feita por nós mesmos (o que é do cara***!). Me preocupo mesmo é com a limpeza e higienização de tudo, e sigo os processos como devem ser.
 

Klarenberg

Member
Afiliado
21/4/21
Mensagens
9
Localização
Montes Claros-MG
Este tópico está muito bom!
Bem, minha relação com a produção de cervejas se deu de uma maneira inusual para quase a totalidade dos membros aqui.
Sou religioso, então meu superior avisou que o mestre cervejeiro da casa iria ser transferido e que eu deveria assumir a produção
e o cuidado deste setor. Ora, nunca tinha feito cerveja, só havia auxiliado na moagem de uma brassagem que o antigo cervejeiro fez.
O que fazer? Me jogaram na água, e eu tinha que aprender a nadar... então aprendi, claro que com muito auxilio de outros.
E isto só faz um ano. Hoje posso dizer que a filosofia cervejeira que sigo é de querer melhorar sempre os processos de produção para
entregar um produto final de qualidade. Procuro seguir estritamente o que meu conselheiro de produção diz (acabei conseguindo um ótimo amigo
que foi dono de uma cervejaria em BH há alguns anos, aliás ótimo mestre cervejeiro, chegou a ganhar algumas medalhas no South Cup Beer).
Já assumi uma micro cervejaria montada de 100l por brassagem, semi automatizada, o que já deixou um desejo de produção semi-industrial.
A produção não é só para consumo próprio, mas principalmente para de alguma maneira ajudar nas despesas da casa, através de amigos.
 

Emilio_Rossi

Well-Known Member
Afiliado
8/6/20
Mensagens
120
Localização
Cerquilho SP
Olá pessoal,
sou novo no fórum e na produção de cerveja caseira. Mas, do pouco que acompanhei até agora, percebi diferentes tipos de produtores de cerveja caseira.

Não sei qual está certo ou errado, nem é o objetivo deste post levantar essa discussão. Mas gostaria de saber, caso queiram compartilhar, que tipo de produtor de cerveja caseira você é.

O que aprendi até agora é que o processo em si é simples (ingredientes, mosturação, fervura, fermentação, maturação, envase). O que me surpreendeu neste universo é que alguns cervejeiros são bem tecnificados (não sei se existe essa palavra). Estão os cervejeiros caseiros buscando copiar um processo industrial?

Outro perfil que tenho visto, é o de seguir as receitas e técnicas de forma literal, desconsiderando algumas vezes o processo.

E outras vezes tenho visto o perfil de produção de cerveja levando em conta o menor esforço para produção de uma cerveja com qualidade razoável. Confesso que esse último é o que eu estou buscando.

Gostaria de saber dos confrades qual sua filosofia cervejeira, e por que. Caso queiram compartilhar e não for um segredo industrial. =D
Cara, pra mim é um tesão fazer breja....sempre tive como hobbies coisas que demandam de trabalho manual.....faço trabalhos em madeira(restauração), jardinagem, Glass Sign em vidro....etc....agora tô ensaiando pra fazer salame e hidromel..... mas foi na cerveja que me encontrei......adoro a historia, o processo...a técnica..a gambiara... a cultura, tudo.......sou cervejeiro da pandemia..comecei em 03/2020, já estou indo pra 60 brassagem..fechando segundo pacotinho de 1.000 tampinhas....

em 2014 fiz curso sommelier em Sp....ia toda santa quarta feira, moro a 110KM da Capital...só pra fazer curso...quase 1 ano....
aprendi demais.....problema foi isso..... fiquei engessado, esperando momento certo...equipamento certo... até que um brother em 11/2019 mandou vídeo que tava fazendo breja.... foi a sacudida que eu precisava.....comprei o primeiro kit panela que achei..usado mesmo.....só panelas e fermentadores..desde primeira NoChill..... nunca vendi uma garrafa sequer....bebo tudo..kkkkk agora com XP já estou com Single Elétrica....geladeira dedicada com controle temp....e semana que vem pegando meu kit carbonatação forçada.... enfim é um TESÃO !!!!!!!!!!!!!
 

Emilio_Rossi

Well-Known Member
Afiliado
8/6/20
Mensagens
120
Localização
Cerquilho SP
Boa.. Bem vindo!!

Discussao bem interessante essa e garanto que vai ter muitas razoes diferentes surgindo por aqui..

Particularmente, iniciei com a produçao de cerveja no inicio da pandemia ano passado, mais como uma brincadeira e curiosidade de explorar possibilidades e passar tempo na pandemia tambem.
A brincadeira evoluiu bastante, pois a partir do momento que voce começa a aprender, vem a vontade de ir melhorando cada vez mais os seus processos, seus equipamentos (na medida do possivel) e as experiencias.

Eu quero seguir fazendo algo caseiro e artesanal, mas sempre tentando tirar o melhor produto no final.. Nao acho que necessariamente com a ideia de gastar o menos possivel ou ter a melhor cerveja com um equipamento que faça tudo sozinho..
Eu tb... cervejeiro da pandemia..kkkkkk
 

Emilio_Rossi

Well-Known Member
Afiliado
8/6/20
Mensagens
120
Localização
Cerquilho SP
Cara! Que bola que você levantou aqui! Vou acompanhar esse tópico e quando estiver mais inspirado volto para escrever com mais detalhes, mas de supetão posso te dizer que a filosofia do caseiro é filosofia. Muitas vertentes. Tem muita gente extremamente técnica, os gambiarreiros, os alquimistas e os "just for fun". Eu tenho um pouco de todos mas no final, gosto simplesmente de ter uma cerveja que eu goste de tomar.

Independente de que rumo sigamos acho que o principal é fazer um produto que nos dê satisfação.
Eu me considero um resumo disso tudo.... adoro a parte química, a mistura de ingredientes, a parte "arte" em fazer breja... agora mesmo estou com uma American Wheat com manjericão no Cold....a parte técnica adoro, por um único e simples motivo... para vc saber burlar primeiro vc tem que saber fazer.......e me divirto demais....seja aqui nos fóruns, no videos..fazendo..planejando,, lavando garrafas (brincadeira...lavar garrafa ninguém merece.....) kkkkk, fora a sensão de dever cumprido depois do envase......e a satisfação e orgulho de destampar a SUA BREJA....cara felomenal!
 

AnaMariaLadra

Member
Afiliado
8/7/21
Mensagens
14
Localização
são bernardo do campo
Gostaria de saber dos confrades qual sua filosofia cervejeira, e por que. Caso queiram compartilhar e não for um segredo industrial. =D
Meu primeiro post, tomei coragem kkkk

Eu jogava muito videogame e era muito viciada e tinha um pc muito ruim, quando montei meu pc dos sonhos perdi o tesão em jogar e fiquei perdida sem ter o que fazer pra me divertir.

Sempre gostei muito de cerveja mas eu não sabia que dava pra fazer em casa. Quando comecei a fazer, foi pq eu vi que tinha um sabor diferente e eu queria provar (eu acho que só tinha experimentado cerveja artesanal duas vezes antes disso).

Hoje em dia minha filosofia é:
- Fazer as cervejas que eu gosto de tomar
- Economizar (cerveja caseira do dia-a-dia sai bem mais barato que comprar, e eu bebo muito)
- Aprender e melhorar a cada nova brassagem
- Experimentar estilos novos que minha situação financeira não permite comprar.

Meus equipamentos são bem básicos e honestamente, não pretendo fazer um upgrade tão cedo.
Tenho 1 chiller de imersão, uma panela de inox de 32L, um saco de voil, um caga fogo e um balde branco de 24L que nunca me decepcionaram.

Com um ano de brassagem, eu tinha feito umas 6 receitas e no dia que eu descobri que teria que lavar e sanitizar 30 garrafas eu surtei e comprei um postmix e um cilindro de co2 e aprendi carbonatação com muito custo kkk
Minha técnica é:
Sexta quando chego do trabalho passo a cerveja pro postmix depois do cold crash, coloco 2,5bar de pressão, gelatina e deixo por 24 horas (sem balançar o barril pra carbonatar). No sábado a noite já ta pronta pra tomar.
Para servir eu uso uma torneira picnic e uso 1bar (e mantenho essa pressão enquanto durar a cerveja)

Agora comprei 3 torneiras e vou montar um kegerator (novidades em breve)

A unica coisa que me deixa um pouco chateada com o hobbie é que até hoje não encontrei ninguém pra brassar comigo e beber mas de resto é só alegria.
 

thiagodifoiz

Well-Known Member
Afiliado
8/4/16
Mensagens
290
Faço cerveja desde 2015 acho que você já fez mais cerveja que eu, olha que eu faço pelo menos 1 brassagem por mês 😂🍻

Cara, pra mim é um tesão fazer breja....sempre tive como hobbies coisas que demandam de trabalho manual.....faço trabalhos em madeira(restauração), jardinagem, Glass Sign em vidro....etc....agora tô ensaiando pra fazer salame e hidromel..... mas foi na cerveja que me encontrei......adoro a historia, o processo...a técnica..a gambiara... a cultura, tudo.......sou cervejeiro da pandemia..comecei em 03/2020, já estou indo pra 60 brassagem..fechando segundo pacotinho de 1.000 tampinhas....

em 2014 fiz curso sommelier em Sp....ia toda santa quarta feira, moro a 110KM da Capital...só pra fazer curso...quase 1 ano....
aprendi demais.....problema foi isso..... fiquei engessado, esperando momento certo...equipamento certo... até que um brother em 11/2019 mandou vídeo que tava fazendo breja.... foi a sacudida que eu precisava.....comprei o primeiro kit panela que achei..usado mesmo.....só panelas e fermentadores..desde primeira NoChill..... nunca vendi uma garrafa sequer....bebo tudo..kkkkk agora com XP já estou com Single Elétrica....geladeira dedicada com controle temp....e semana que vem pegando meu kit carbonatação forçada.... enfim é um TESÃO !!!!!!!!!!!!!
 

Marcia Grande

Member
Afiliado
29/10/19
Mensagens
24
Localização
São Paulo
Olá pessoal,
sou novo no fórum e na produção de cerveja caseira. Mas, do pouco que acompanhei até agora, percebi diferentes tipos de produtores de cerveja caseira.

Não sei qual está certo ou errado, nem é o objetivo deste post levantar essa discussão. Mas gostaria de saber, caso queiram compartilhar, que tipo de produtor de cerveja caseira você é.

O que aprendi até agora é que o processo em si é simples (ingredientes, mosturação, fervura, fermentação, maturação, envase). O que me surpreendeu neste universo é que alguns cervejeiros são bem tecnificados (não sei se existe essa palavra). Estão os cervejeiros caseiros buscando copiar um processo industrial?

Outro perfil que tenho visto, é o de seguir as receitas e técnicas de forma literal, desconsiderando algumas vezes o processo.

E outras vezes tenho visto o perfil de produção de cerveja levando em conta o menor esforço para produção de uma cerveja com qualidade razoável. Confesso que esse último é o que eu estou buscando.

Gostaria de saber dos confrades qual sua filosofia cervejeira, e por que. Caso queiram compartilhar e não for um segredo industrial. =D

Eu fiz uma receita e deu certo, fui sempre com ela e de repente estava fazendo cervejas "tomáveis". Há dois anos iniciei e hoje posso dizer que minha IPA é bastante elogiada (até vendo!!) agora, há percalços, e não são poucos, os confrades e as comadres mais experientes sempre ajudam e o fórum é de grande valia para corrigir os erros ou aprender alguma técnica nova. Prost!!
 

NH3

Well-Known Member
Afiliado
18/12/15
Mensagens
145
Completando o que já escrevi nesse tópico sobre o fato de fazer cerveja para mim, ser mais que obter um resultado satisfatório, mas também, aprender, aprimorar e ter a oportunidade de corrigir meus próprios erros.
Recentemente fiz uma session IPA (4% ABV), receita só com grãos e lúpulo de 1a, mas resolvi testar uma kveik seca que ganhei e estava no freezer. Ah, nessa batelada também usei parcialmente a técnica high gravity, mas ao invés de diluir após a fermentação,dilui antes, com água filtrada em um filtro bacteriológico por onde eu tinha feito uma limpeza com cloro recentemente. Bom, diferentemente de outras vezes que usei outras cepas de kveik, e a fermentação começou após algumas horas,desta vez demorou 2 dias para começar aparecer sinal de fermentação. Não sei se foi problema no fermento ou de algum cloro residual no filtro mas a cerveja saiu com gosto e aroma de clorofenol terrível, depois de quase 2 semanas de fermentação (geralmente minhas fermentações com kveik levam no máximo, 5 dias). 20 L prontos para serem descartados... Mas aí pensei, vou tentar consertar isso transformando a cerveja num whisky ou numa cerveja de baixo teor alcoólico. Já fiz aproveitamento de cerveja ruim em whisky. Ficou Ok como whiskey, mas tenho usado principalmente para turbinar outras cervejas usando esse whiskey para extração em dry-hopping ou como meio de infusão para carvalho. Como ainda tenho do meu whiskey, e estou numas de minimizar o consumo alcoólico sem deixar de beber, optei pela segunda opção, cerveja de baixo teor alcoólico.
Dei uma leve tostada num pouco de malte pale ale, fiz uma infusão com esse malte a uns 75 oC, para extrair aroma e sabor maltado com mínima extração de açúcar e depois fervi por uns 15 min, adicionei mais um tanto de lúpulo, desliguei o fogo. Deixei na panela para esfriar até uns 80 oC quando coloquei esse líquido em garrafas de vidro e pus para resfriar na geladeira. No dia seguinte,iniciei o blend. 1/4 de cerveja ruim, 1/4 desse líquido maltado-lupulado e 1/2 de água filtrada ( sem resíduo de cloro), e dá-lhe carbonatação forçada. E não é que consegui salvar minha cerveja, pois ficou uma cerveja maltada, lupulada, e baixo teor alcoólico (~1%), agradável de tomar com frequência. Claro que tem gente vai achar tudo isso uma grande perda de tempo, pois esse conserto não transformou uma porcaria numa grande cerveja, apenas transformou uma porcaria numa cerveja que estou satisfeito em beber. Mas para mim, o grande prazer, foi conseguir arrumar algo que muitos consideram um caso perdido, e essa satisfação de experimentar e desbravar novos conhecimentos é uma das principais coisas que me motiva ser um cervejeiro amador.
 

Emilio_Rossi

Well-Known Member
Afiliado
8/6/20
Mensagens
120
Localização
Cerquilho SP
Faço cerveja desde 2015 acho que você já fez mais cerveja que eu, olha que eu faço pelo menos 1 brassagem por mês 😂🍻
Negócio é viciante D+ Thiago!! Kkkkk sexta passada já fiz 45 L brett saison ( vai maturar 1 ano) hj, 32 litros dry Stout e já tá no gatilho pra quarta berliner weissen para um encontro de cervejeiros... Normalmente faço umas 6 brassagens mês, as vezes posto as peripécias no Instagram, segue lá @cerveja_overdrive ...cheers!!
 
Topo