• We have implemented the ability to gift someone a Supporting Membership now! When you access the Upgrade page there is now a 'Gift' button. Once you click that you can enter a username to gift an account Upgrade to. Great way to help support this forum plus give some kudos to anyone who has helped you.

Priming utilizando Gyle

Ajude o Home Brew Talk Brasil:

cgfischer

Well-Known Member
Afiliado
22/6/15
Mensagens
390
Quem aí já fez priming com Gyle (mosto não fermentado)?
Como foi a experiência?
Continua usando essa técnica? Sim? Não? Pq?
Congelou o mosto antes ou depois de inocular o fermento?

Estou pensando em passar por essa experiência em uma próxima cerva, mas gostaria de saber o que os colegas pensam a respeito.

Abraços!
 

fabiobrum

Well-Known Member
Afiliado
2/12/15
Mensagens
182
Imagino que não seja uma técnica muito utilizada por não ser muito prática, pois necessitará de mais espaço no freezer para guardar o mosto.
 

TiagoProsperi

Member
Afiliado
30/5/16
Mensagens
13
Eai Galera
Tenho algumas dúvidas sobre o metodo Gyle:
Li em alguns sites e blogs que é indicado o uso de reposição de fermento para a carbonatação pelo método krausening ou Gyle. A reposição serviria para facilitar a reabsorção de uma nova “carga” de diacetil. Quando eu faço o priming não reponho leveduras pois li que fica um volume suficiente em suspenção. Sempre carbonatou normal. Seria a mesma coisa usando o mosto que foi reservado? No priming tradicional o açúcar não libera diacetil da mesma forma que o açúcar fermentável do mosto? A reposição de leveduras não aumentaria a turbidez? Eu reaproveito as leveduras até a 3 geração elas já não estariam “cansadas” de reabsorção de diacetil das outras levas?
Como faço levas pequenas de 18 Litros e não repito receita o que impossibilitaria o método Krausening eu queria saber sobre o armazenamento do mosto. Se precisaria congelar? Geladeira a 4 graus por mais ou menos 20 dias é ruim? Teria que congelar em garrafa Pet para não explodir correto? Para descongelar alguém sugere algum método?
Abraço, Tiago.
 

tomazela

Well-Known Member
Afiliado
12/1/16
Mensagens
1,683
Eu só uso Gyle.

Vantagens:

- Possibilita aumentar o Head Space do fermentador
- Não altera o sabor final da cerveja.

Desvantagens:

- Pode aumentar a turbidez da cerveja (nas minhas IPAs que usam 7% do mosto nem noto diferença. Em Weiss então é até benéfico...rs)
- Espaço no freezer, mas isso depende do volume...o Máximo que já congelei foram 3,5 litros...2 potes de sorvete

Eu particularmente recomendo...no brewersfriend tem uma calculadora e funciona bem....na weiss eu uso um pouco menos do que a calculadora diz, pois a primeira leva supercarbonatou (WB-06 bruto).
 

stormridersp

Well-Known Member
Afiliado
31/7/15
Mensagens
154
Isso me deu uma ótima ideia!

Até hoje a técnica que tem funcionado legal comigo é inocular com injeção, em cada garrafa, um licor de expedição (água + açúcar) na proporção correta para que o volume de uma seringa cheia carbonate 1L. Funciona bem, porém é um pouco trabalhoso, pois o licor de expedição tem que ser fervido e depois, reposto o volume perdido com a evaporação, mas garante que cada garrafa carbonate por igual.

Usando a técnica de Gyle, eu poderia utilizar todo o trub da fervura, que normalmente iria para o ralo da pia; em seguida congela-lo.

Na hora de usar, durante o cold-crash, decanto esse Gyle para remover o trub, o fervo para esterilizá-lo, aumentando assim ainda a concentração de açúcares e, por ser durante o cold crash, poderia além de dar uma boa misturada em todo o conteudo do fermentador que, por estar em temperatura baixissima, me garante ainda que só irá refermentar depois do cold crash e depois de engarrafado!

As vantagens seriam várias, como por exemplo por estar perdendo menos mosto com trub, aumentaria a minha brewhouse efficiency, garantiria uma carbonatação uniforme sem comprometer a clarificação e ainda me dariam de bonus ~2L a mais de cerveja para cada batch de 25L!

Será que funcionaria assim?
 

TiagoProsperi

Member
Afiliado
30/5/16
Mensagens
13
Eai Storm... se o trub ficar bem separado ACHO que não rende muito... Eu vou brassar essa semana e vou reservar o trub também por experiencia para ver se rende algo fazendo um Cold Crash ....mas não vou fazer o primeiro teste de Gyle com trub ... vou descartar...Se tu fizer da um toque... Abraco
 

TiagoProsperi

Member
Afiliado
30/5/16
Mensagens
13
Eai Tomazela....

Tu usa mais fermento para o envase?
Tu descongela e coloca o mosto sem ferver?

Abraco!
 

tomazela

Well-Known Member
Afiliado
12/1/16
Mensagens
1,683
Eai Tomazela....

Tu usa mais fermento para o envase?
Tu descongela e coloca o mosto sem ferver?

Abraco!
Após o resfriamento e Whirlpool, separo a quantidade previamente calculada através do: brewersfriend.com/gyle-and-krausen-priming-calculator/

Congelo em pote de sorvete.

No dia de envase, fervo por 15 minutos, resfrio um pouco e coloco no balde de envase. Então faço a transferência da cerveja do fermentador para o balde de envase, encostando a mangueira no fundo para evitar oxigenação. Acredito que eu resfrie até uns 50c, nunca medi a temperatura, pois ao misturar 26 litros de breja a 0c com no máximo 3L a 50c praticamente, resfria instantaneamente. Dessa forma não é necessário nem mexer, pois só a transferência já homogeniza bem.

Desde a segunda leva faço assim e só vejo vantagem.
 

TiagoProsperi

Member
Afiliado
30/5/16
Mensagens
13
Eai Galera… fazendo um update das duas experiências que tive usando speise.
Na primeira eu reservei da parte mais clara do mosto resfriado e congelei quase 2 litros ...passaram-se 30 dias e fui envasar... Botei para descongelar um dia antes e não deu tempo de fazer coldcrash .....o speise não clarificou. Fervi 15min e utilizei assim mesmo ...rendeu 1,4L. A cerveja acabou ficando com mais sedimento no fundo da garrafa que quando faço priming com açúcar.

Na segunda eu não congelei o speise e reservei o final da panela todo com o trub e tudo, quase 4 litros. Reservei na geladeira e ficou por uns 30 dias em +- 3 graus... consegui separar bem o trub do speise que ficou cristalino, fervi e utilizei. Nesse processo ficou menos sedimento nas garrafas do que utilizando priming. Gostei mais do resultado e rendeu um maior volume engarrafado.

Nas 2 fiz praticamente os mesmos processos de mosturação, fermentação e coldcrash. Não troquei de fermentador para a maturação. Li em alguns lugares que se deve repor leveduras no speise mas não fiz a reposição e as duas carbonataram normalmente.

Achei bacana essa reportagem da BYO que fala um pouco sobre Kräusening. http://byo.com/stories/issue/item/2503-the-house-of-heileman.

Espero que a galera do homebrewtalk ajude por aqui...Abraço, Tiago.:rockin:
 

cgfischer

Well-Known Member
Afiliado
22/6/15
Mensagens
390
Após o resfriamento e Whirlpool, separo a quantidade previamente calculada através do: brewersfriend.com/gyle-and-krausen-priming-calculator/

Congelo em pote de sorvete.

No dia de envase, fervo por 15 minutos, resfrio um pouco e coloco no balde de envase. Então faço a transferência da cerveja do fermentador para o balde de envase, encostando a mangueira no fundo para evitar oxigenação. Acredito que eu resfrie até uns 50c, nunca medi a temperatura, pois ao misturar 26 litros de breja a 0c com no máximo 3L a 50c praticamente, resfria instantaneamente. Dessa forma não é necessário nem mexer, pois só a transferência já homogeniza bem.

Desde a segunda leva faço assim e só vejo vantagem.
Cara, ainda não tive coragem de fazer o priming usando speise, mas pretendo fazer logo.
Fui dar mais uma olhada na calculadora e fiquei com uma pulga atrás da orelha.
Você que usa essa técnica com frequência, provavelmente vai saber.
O campo "Volume Being Packaged", é pra ser o volume que está sendo retirado do fermentador, ao qual ainda vai ser adicionado o volume de speise? Ou é o volume total pronto para o envase, já considerando o volume do speise junto?
 

tomazela

Well-Known Member
Afiliado
12/1/16
Mensagens
1,683
Cara, ainda não tive coragem de fazer o priming usando speise, mas pretendo fazer logo.
Fui dar mais uma olhada na calculadora e fiquei com uma pulga atrás da orelha.
Você que usa essa técnica com frequência, provavelmente vai saber.
O campo "Volume Being Packaged", é pra ser o volume que está sendo retirado do fermentador, ao qual ainda vai ser adicionado o volume de speise? Ou é o volume total pronto para o envase, já considerando o volume do speise junto?
Cara, eu parei de usar esse método, pois agora estou fermentando em bombonas com Headspace maior. Eu usava muito esse método, pois ao retirar parte do mosto, normalmente de 2 a 3 litros para uns 30 litros, senão me engano, podia ter um headspace maior, evitando transbordar o airlock.

Mas respondendo a sua pergunta, eu sempre coloquei ali o volume que tenho no fermentador, antes de adicionar o mosto, afinal não faz muito sentido considerá-lo, visto que não o conhecemos ainda..
 

cgfischer

Well-Known Member
Afiliado
22/6/15
Mensagens
390
Cara, eu parei de usar esse método, pois agora estou fermentando em bombonas com Headspace maior. Eu usava muito esse método, pois ao retirar parte do mosto, normalmente de 2 a 3 litros para uns 30 litros, senão me engano, podia ter um headspace maior, evitando transbordar o airlock.

Mas respondendo a sua pergunta, eu sempre coloquei ali o volume que tenho no fermentador, antes de adicionar o mosto, afinal não faz muito sentido considerá-lo, visto que não o conhecemos ainda..
Valeu!
 

cgfischer

Well-Known Member
Afiliado
22/6/15
Mensagens
390
@tomazela , mais uma coisa...

Fiz o tal priming com o gyle, utilizando a calculadora do Brewers Friend.
Resolvi experimentar depois de uma semana, para ver se estava realmente carbonatando.
Como eu esperava, ainda estava "choca", mas o que mais me grilou, foi o fato de ter um gosto de "coisa que ainda está fermentando", o que eu não percebi na cerva depois da maturação (estava bem limpa, tanto visualmente como de aroma e sabor).
Esse sabor que mencionei acima, nunca percebi quando fiz priming com açúcar.
Isso também aconteceu contigo?
Abraço!
 

tomazela

Well-Known Member
Afiliado
12/1/16
Mensagens
1,683
@tomazela , mais uma coisa...

Fiz o tal priming com o gyle, utilizando a calculadora do Brewers Friend.
Resolvi experimentar depois de uma semana, para ver se estava realmente carbonatando.
Como eu esperava, ainda estava "choca", mas o que mais me grilou, foi o fato de ter um gosto de "coisa que ainda está fermentando", o que eu não percebi na cerva depois da maturação (estava bem limpa, tanto visualmente como de aroma e sabor).
Esse sabor que mencionei acima, nunca percebi quando fiz priming com açúcar.
Isso também aconteceu contigo?
Abraço!
Não lembro de ter tido esse tipo de percepção. Mas pode ser pelo motivo de que eu só abro quando o manômetro estabiliza.

Talvez a levedura sofra um pouquinho mais para consumir o açúcar através desse método. Mas não acredito que isso possa ser tão perceptível.

Esse mosto não está lupado não né? :p
 

cgfischer

Well-Known Member
Afiliado
22/6/15
Mensagens
390
Não lembro de ter tido esse tipo de percepção. Mas pode ser pelo motivo de que eu só abro quando o manômetro estabiliza.

Talvez a levedura sofra um pouquinho mais para consumir o açúcar através desse método. Mas não acredito que isso possa ser tão perceptível.

Esse mosto não está lupado não né? :p
Sim, mosto lupulado. Recolhi ele antes de inocular o fermento.
Pq?
 

tomazela

Well-Known Member
Afiliado
12/1/16
Mensagens
1,683
Sim, mosto lupulado. Recolhi ele antes de inocular o fermento.
Pq?
Eu fazia Gyle somente na minha Weiss, nunca fiz na IPA, onde a carga de lúpulo é grande. Além do que o Gyle vai aumentar a turbidez da cerveja, o que na Weiss não é um problema, mas em outros estilos pode até ser...

Se for uma IPA com carga de lúpulo grande, ao ferver o prime, pode aumentar o amargor, apesar de não achar que seja um aumento lá muuuuito significativo.

Na calculadora, tem a opção de Gyle with different og/fg

Assim você poderia separar o mosto antes da fervura e da adição dos lúpulos.

Se você está fazendo uma Weiss ou outra cerveja com baixa carga de lúpulo, acredito que possa fazer como vc fez, mas esse pode ser um dos motivos da cerveja não estar bem arredondada ainda, podendo ser necessário uma maturação na garrafa mais longa. Prove depois de 20 dias, que é um prazo normalmente recomendável para se iniciar a degustação pós prime...

[ ]´s
 
Topo