• We have implemented the ability to gift someone a Supporting Membership now! When you access the Upgrade page there is now a 'Gift' button. Once you click that you can enter a username to gift an account Upgrade to. Great way to help support this forum plus give some kudos to anyone who has helped you.

O que é BATCH SPARGE, e FLY/CONTINUOUS SPARGE, e quando usar?

Ajude o Home Brew Talk Brasil:

chuckedw

Well-Known Member
Afiliado
14/9/15
Mensagens
116
Bom dia!

utilizo fly sparge, mas tenho notado uma deficiencia na lavagem e na recirculação, e vendo estas imagens notei que o indicado pra quem usa fundo falso seria colocar uma mangueira prologando a saida ate o centro da panela, no meu caso nao uso isso, a saida da panela esta puxando o mosto pela lateral, isso pode causar problemas na brassagem? seria indicado eu prolongar com um tubo ate o meio da panela?
Hoje fiz a brassagem na mesma panela de filtragem (fundo falso) e foi complicado.

Pré esquentei a água a 68º e adicionei o malte. Mexi pra não ter grumos e a temperatura caiu la pra 62º. Como eu quero uma cerveja mais encorpada, decidi esquentar mais.

Enquanto esquentava, fui recirculando.
O problema é que a temperatura passou BASTANTE dos 68º. Isso porque eu estava tirando a temperatura acima do fundo falso (+- na metade da panela). E o mosto abaixo do fundo falso (depois fui ver) já estava em 82º . Ou seja....os grão estava a 68º e o mosto abaixo do fundo falaso a 82º. Demorou uns 15 minutos pra emparelhar. Acabou ficando com uma diferença de 64 e 69º
:(

Minha pergunta é. Vale a pena eu continuar com ela até o final ou melhor começar de novo essa leva?
Quantos litros?? Eu continuaria, vai ficar encorpadona!
 

NeoRamza

Well-Known Member
Afiliado
9/3/16
Mensagens
143
Hoje fiz a brassagem na mesma panela de filtragem (fundo falso) e foi complicado.

Pré esquentei a água a 68º e adicionei o malte. Mexi pra não ter grumos e a temperatura caiu la pra 62º. Como eu quero uma cerveja mais encorpada, decidi esquentar mais.

Enquanto esquentava, fui recirculando.
O problema é que a temperatura passou BASTANTE dos 68º. Isso porque eu estava tirando a temperatura acima do fundo falso (+- na metade da panela). E o mosto abaixo do fundo falso (depois fui ver) já estava em 82º . Ou seja....os grão estava a 68º e o mosto abaixo do fundo falaso a 82º. Demorou uns 15 minutos pra emparelhar. Acabou ficando com uma diferença de 64 e 69º
:(

Minha pergunta é. Vale a pena eu continuar com ela até o final ou melhor começar de novo essa leva?
Com certeza vale a pena. Na minha primeira brassagem eu cheguei até a ferver o mosto sem querer. Pensei em abortar e jogar tudo fora, mas continuei e ela ficou muito boa pra minha surpresa.
 

jppaixao

Member
Afiliado
17/8/16
Mensagens
23
Hoje fiz a brassagem na mesma panela de filtragem (fundo falso) e foi complicado.

Pré esquentei a água a 68º e adicionei o malte. Mexi pra não ter grumos e a temperatura caiu la pra 62º. Como eu quero uma cerveja mais encorpada, decidi esquentar mais.

Enquanto esquentava, fui recirculando.
O problema é que a temperatura passou BASTANTE dos 68º. Isso porque eu estava tirando a temperatura acima do fundo falso (+- na metade da panela). E o mosto abaixo do fundo falso (depois fui ver) já estava em 82º . Ou seja....os grão estava a 68º e o mosto abaixo do fundo falaso a 82º. Demorou uns 15 minutos pra emparelhar. Acabou ficando com uma diferença de 64 e 69º
:(

Minha pergunta é. Vale a pena eu continuar com ela até o final ou melhor começar de novo essa leva?
Não uso fundo falso no fogareiro por isso, a probabilidade de abaixo do fundo estar uma temperatura muito acima dos grãos é enorme. Se tiver uma bomba de recirculação para o mosto abaixo do fundo ficar sempre recirculando, blz. Senão tiver, usa o Bazooka mesmo.
 

Guenther

Administrador
Moderador
Admin
Afiliado
23/4/13
Mensagens
3,828
Hoje fiz a brassagem na mesma panela de filtragem (fundo falso) e foi complicado.

Pré esquentei a água a 68º e adicionei o malte. Mexi pra não ter grumos e a temperatura caiu la pra 62º. Como eu quero uma cerveja mais encorpada, decidi esquentar mais.

Enquanto esquentava, fui recirculando.
O problema é que a temperatura passou BASTANTE dos 68º. Isso porque eu estava tirando a temperatura acima do fundo falso (+- na metade da panela). E o mosto abaixo do fundo falso (depois fui ver) já estava em 82º . Ou seja....os grão estava a 68º e o mosto abaixo do fundo falaso a 82º. Demorou uns 15 minutos pra emparelhar. Acabou ficando com uma diferença de 64 e 69º
:(

Minha pergunta é. Vale a pena eu continuar com ela até o final ou melhor começar de novo essa leva?
Olá,

Cara, primeira coisa que vc tem que fazer é calcular a temperatura da água, e não esquentar água a X, misturar, e depois ver no que dá.

Uma fórmula clássica é:

TG = Temperatura dos Grãos (ex.: 20 graus)
TM = Temperatura de Mosturação Desejada (ex.: 68 graus)
P = Proporção de Água utilizada (ex.: 3 L/KG)
0,41 = É só uma constante que muda se formos calcular em graus F.

Ta = a temperatura que a água deve ficar antes de colocarmos o malte

A fórmula:

Ta = ((0,41 / P) x (TM – TG)) + TM

Exemplo - assumindo que utilizaremos uma proporção de água (P) de 3 L/KG, que a temperatura dos grãos (TG) é de 20 graus, e que queremos uma temperatura de mosturação de 68 graus (TM):

T = ((0,41 / 3) x (68 – 20)) + 68 T = (0,1367 x 48) + 68
T = 6,5616 + 68
T =~ 74,5 graus

Particularmente, para panelas de alumínio sem isolamento, eu recomendo a maioria dos cervejeiros a fazerem uma correção de 1,5 graus, ou seja, se quer 68 graus, calcule como se fosse para 69,5. É sempre melhor errar pra cima, pois basta adicionar água fria pra resolver.

-------

Sobre sua dificuldade, a questão é simplíssima.... ou vc está recirculando de forma muito lenta, ou o fogo está muito forte para a sua velocidade de recirculação. Igual, é completamente normal o fundo estar mais quente justamente porque o fogo está lá, mas lembre que este mosto mais aquecido só fica quente até que vc remova-o dali e devolva-o em cima da panela, quando ele será resfriado novamente. Esse pouco tempo em alta temperatura não é nem de perto suficiente para inativar as enzimas. Muitos cervejeiros pensam que as reações são instantâneas, mas não são, e isso está nos livros mais respeitados (No Kunze por exemplo há gráficos de temperatura VS quanto tempo a enzima sobrevive naquela temperatura fixa).

Ou seja, use fogo baixo, vá recirculando, e medindo na parte de cima da cama de grãos, algo como 5cm abaixo dos grãos. Quando chegar perto da temperatura que quer, digamos, 1 grau, desligue o fogo e de mais uma recirculada para homogenizar.

Querer que 100% da panela fique exatamente na mesma temperatura é algo que não serve pra praticamente nada. Mesmo em sistemas com recirculação constante, sempre vai haver uma diferença entre a parte de cima e a parte de baixo, e qual é o problema disso? Nenhum. O importante é o perfil do mosto como um todo no final.

Quando se faz uma infusão simples e se tampa a panela para esperar com tudo desligado, é totalmente normal que depois de um tempo a parte de baixo fique mais fria, e a parte de cima um pouco mais quente, no entanto isso é um padrão que se repete.... e tem alta repetibilidade.

Ou seja, qual é o importante da mosturação? Converter tudo, atingir o perfil de açúcares fermentáveis e não fermentáveis que vc quer, e ter uma razoável repetibilidade.

Grande abraço,
 

buzz

Active Member
Afiliado
16/5/17
Mensagens
27
Atualmente uso bazooka e faço BATCH SPARGE, quero comprar um fundo falso para fazer FLY SPARGE. Minha duvida é como calcular a densidade disso tudo.
No meu caso eu faco a recirculacao, passo pra panela de fervura e calculo a densidade. Na primeira lavagem recirculo novamente, tiro uma medida de gravidade e adiciono também para a panela de fervura. E na ultima lavagem eu recirculo, calculo a densidade (que já é bem mais baixa) e sei quanto liquido eu preciso adicionar dessa lavagem ao meu wort final para chegar na gravidade pré fervura esperada. No caso do FLY SPARGE como é feito isso? Se já estou fazendo uma lavagem continua e chegar na panela de fervura pra tirar gravidade e vi que não extrai açucares suficientes tenho que voltar tudo e ferver de novo?

EDIT: Consegui achar umas informações na versão americana do fórum, aparentemente devo fazer o FLY SPARGE tirando medidas de gravidade do caldo saindo de uma panela para a outra e fazer isso até chegar em 1.010, a partir desse ponto paro de lavar, deixo a água que sobrou no mosto pra trás e magicamente devo estar com tudo certo para começar a fervura. Como não sei eficiência do meu equipamento e não possuo beersmith(estou seguindo receita apenas), como faço se após a lavagem eu não atingir minha gravidade pre fervura esperada?

Perdão pelo post confuso :fro:
 

Guenther

Administrador
Moderador
Admin
Afiliado
23/4/13
Mensagens
3,828
Atualmente uso bazooka e faço BATCH SPARGE, quero comprar um fundo falso para fazer FLY SPARGE. Minha duvida é como calcular a densidade disso tudo.
No meu caso eu faco a recirculacao, passo pra panela de fervura e calculo a densidade. Na primeira lavagem recirculo novamente, tiro uma medida de gravidade e adiciono também para a panela de fervura. E na ultima lavagem eu recirculo, calculo a densidade (que já é bem mais baixa) e sei quanto liquido eu preciso adicionar dessa lavagem ao meu wort final para chegar na gravidade pré fervura esperada. No caso do FLY SPARGE como é feito isso? Se já estou fazendo uma lavagem continua e chegar na panela de fervura pra tirar gravidade e vi que não extrai açucares suficientes tenho que voltar tudo e ferver de novo?

EDIT: Consegui achar umas informações na versão americana do fórum, aparentemente devo fazer o FLY SPARGE tirando medidas de gravidade do caldo saindo de uma panela para a outra e fazer isso até chegar em 1.010, a partir desse ponto paro de lavar, deixo a água que sobrou no mosto pra trás e magicamente devo estar com tudo certo para começar a fervura. Como não sei eficiência do meu equipamento e não possuo beersmith(estou seguindo receita apenas), como faço se após a lavagem eu não atingir minha gravidade pre fervura esperada?

Perdão pelo post confuso :fro:
Aí eu te pergunto, se vc ir lavando até alcançar isso.... quantos litros vai colocar pra ferver? Vai fazer a leva com uma litragem diferente do que havia sido planejado? E se fizer..... o projetado que a receita tinha pra cor, pra amargor, etc... foram pra onde? Para o espaço.

O negócio do 1010 é um LIMITE... não quer dizer que vc deva fazer assim, a menos que ao final da lavagem vc recalcule toda sua receita para a litragem atual, etc.

Fly Sparge é a técnica de lavagem..... até onde vc vai lavar, é uma decisão sua. Esse negócio de lavar até 1010 também dá pra fazer igual no Batch Sparge.

Eu particularmente recomendo sempre fazer exatamente a litragem que se havia previsto, dessa forma vc vai ter a cor que planejou, o amargor, todas as características... a única coisa que pode variar é a OG, e se a OG variar um pouco, o que isso afeta? Só o teor de álcool praticamente.

Ou seja, independentemente da técnica que uso pra lavagem, eu SEMPRE lavo até atingir o volume pré-fervura que eu havia planejado na receita.

Abraço,
 

buzz

Active Member
Afiliado
16/5/17
Mensagens
27
Aí eu te pergunto, se vc ir lavando até alcançar isso.... quantos litros vai colocar pra ferver? Vai fazer a leva com uma litragem diferente do que havia sido planejado? E se fizer..... o projetado que a receita tinha pra cor, pra amargor, etc... foram pra onde? Para o espaço.

O negócio do 1010 é um LIMITE... não quer dizer que vc deva fazer assim, a menos que ao final da lavagem vc recalcule toda sua receita para a litragem atual, etc.

Fly Sparge é a técnica de lavagem..... até onde vc vai lavar, é uma decisão sua. Esse negócio de lavar até 1010 também dá pra fazer igual no Batch Sparge.

Eu particularmente recomendo sempre fazer exatamente a litragem que se havia previsto, dessa forma vc vai ter a cor que planejou, o amargor, todas as características... a única coisa que pode variar é a OG, e se a OG variar um pouco, o que isso afeta? Só o teor de álcool praticamente.

Ou seja, independentemente da técnica que uso pra lavagem, eu SEMPRE lavo até atingir o volume pré-fervura que eu havia planejado na receita.

Abraço,

Achei que a OG seria a característica mais importante a se preocupar quando preparando o Wort.Pois se meu volume for superior posso tirar um pouco e jogar fora ou recalcular lúpulo etc, parte visual, cor turbidez não me importo tanto ainda pois é mais questão de aparência. Achei bem prática a regra de fazer a listagem correta mas até aí tem que confiar que o software calculou as quantidades certas pra vc, o que não é meu caso ainda. Queria saber qual o ponto de parar a lavagem com base na gravidade pois já fiz 3 brassagem, e tudo está correto menos o teor alcoólico...
 

Persevalli

Well-Known Member
Afiliado
21/1/17
Mensagens
376
Pessoal,

Existe alguma boa prática em para o "1o Mosto" que já foi escoado para a panela de fervura , enquanto se faz a lavagem na panela de mostura/lavagem? Digo , enquanto se lava , o mosto que já foi pra outra panela (fervura) vai perdendo um pouco de temperatura , esperando que a lavagem termine para que o mosto seja completado para fervura.

1) Deve ser mantida a temperatura de mosturação na panela de fervura?
2) Deve ser elevada a temperatura para que quando "chegue" o restante do mosto (pós lavagem) tudo já esteja próximo da temperatura de fervura?

Obrigado

Persevalli
 

Guenther

Administrador
Moderador
Admin
Afiliado
23/4/13
Mensagens
3,828
Achei que a OG seria a característica mais importante a se preocupar quando preparando o Wort.Pois se meu volume for superior posso tirar um pouco e jogar fora ou recalcular lúpulo etc, parte visual, cor turbidez não me importo tanto ainda pois é mais questão de aparência. Achei bem prática a regra de fazer a listagem correta mas até aí tem que confiar que o software calculou as quantidades certas pra vc, o que não é meu caso ainda. Queria saber qual o ponto de parar a lavagem com base na gravidade pois já fiz 3 brassagem, e tudo está correto menos o teor alcoólico...
Pois a minha opinião é justamente o contrário.... a única coisa que, se variar, não afeta muito, é a OG. Se eu queria que a cerveja ficasse com 5.5 e ela ficou com 5, ou 6, a diferença pra mim é mínima comparado com o teor de amargor, etc.
 

buzz

Active Member
Afiliado
16/5/17
Mensagens
27
Pessoal,

Existe alguma boa prática em para o "1o Mosto" que já foi escoado para a panela de fervura , enquanto se faz a lavagem na panela de mostura/lavagem? Digo , enquanto se lava , o mosto que já foi pra outra panela (fervura) vai perdendo um pouco de temperatura , esperando que a lavagem termine para que o mosto seja completado para fervura.

1) Deve ser mantida a temperatura de mosturação na panela de fervura?
2) Deve ser elevada a temperatura para que quando "chegue" o restante do mosto (pós lavagem) tudo já esteja próximo da temperatura de fervura?

Obrigado

Persevalli
Acho que não há problema (e até economiza tempo) já ir aquecendo o wort durante a lavagem contanto que não se inicie a fervura
 

leduardol

Well-Known Member
Afiliado
15/1/16
Mensagens
47
Aí eu te pergunto, se vc ir lavando até alcançar isso.... quantos litros vai colocar pra ferver? Vai fazer a leva com uma litragem diferente do que havia sido planejado? E se fizer..... o projetado que a receita tinha pra cor, pra amargor, etc... foram pra onde? Para o espaço.

O negócio do 1010 é um LIMITE... não quer dizer que vc deva fazer assim, a menos que ao final da lavagem vc recalcule toda sua receita para a litragem atual, etc.

Fly Sparge é a técnica de lavagem..... até onde vc vai lavar, é uma decisão sua. Esse negócio de lavar até 1010 também dá pra fazer igual no Batch Sparge.

Eu particularmente recomendo sempre fazer exatamente a litragem que se havia previsto, dessa forma vc vai ter a cor que planejou, o amargor, todas as características... a única coisa que pode variar é a OG, e se a OG variar um pouco, o que isso afeta? Só o teor de álcool praticamente.

Ou seja, independentemente da técnica que uso pra lavagem, eu SEMPRE lavo até atingir o volume pré-fervura que eu havia planejado na receita.

Abraço,
Faço exatamente assim. E normalmente o impacto é bem baixo e com o tempo se vai ajustando o equipamento no Beersmith. Também achei muito melhor passar para o Fly Sparge no sistema de 2 panelas que tenho, otimiza e não via perdas apreciáveis... Hoje passei para o sistema Grainfather logo tudo Fly-Sparge, e não vejo alterações para quando fazia no outro sistema com o Batch Sparge.

@Guenther no Fly Sparge, é importante deixar a camada de agua acima da cama de grãos? Que aconteceria se ponho agua, drena e põe mais? Tem um nível ideal mínimo e/ou máximo para deixa acima da cama de grãos?
 

Guenther

Administrador
Moderador
Admin
Afiliado
23/4/13
Mensagens
3,828
Faço exatamente assim. E normalmente o impacto é bem baixo e com o tempo se vai ajustando o equipamento no Beersmith. Também achei muito melhor passar para o Fly Sparge no sistema de 2 panelas que tenho, otimiza e não via perdas apreciáveis... Hoje passei para o sistema Grainfather logo tudo Fly-Sparge, e não vejo alterações para quando fazia no outro sistema com o Batch Sparge.

@Guenther no Fly Sparge, é importante deixar a camada de agua acima da cama de grãos? Que aconteceria se ponho agua, drena e põe mais? Tem um nível ideal mínimo e/ou máximo para deixa acima da cama de grãos?
Imagine que vc está com sua mão toda suja cheia de açúcar grudado, e vai lavar sua mão embaixo de água corrente, só deixando a mão parada embaixo da torneira, sem poder mexê-la.

Pra limpar ela totalmente, você vai deixar sua mão parada de forma que a água só pegue na metade da mão ou no meio da palma da mão até a ponta dos dedos, ou...... vai posicionar a mão de forma que a água cubra toda a superfície da sua mão, desde o pulso até a ponta dos dedos?

Numa lavagem contínua, o que está acima do nível no líquido............... não está sendo lavado.

Esvaziar, encher, esvaziar encher teria a vantagem de............ nada. Vantagem nenhuma. :fro:

Abração,
 

leduardol

Well-Known Member
Afiliado
15/1/16
Mensagens
47
Imagine que vc está com sua mão toda suja cheia de açúcar grudado, e vai lavar sua mão embaixo de água corrente, só deixando a mão parada embaixo da torneira, sem poder mexê-la.

Pra limpar ela totalmente, você vai deixar sua mão parada de forma que a água só pegue na metade da mão ou no meio da palma da mão até a ponta dos dedos, ou...... vai posicionar a mão de forma que a água cubra toda a superfície da sua mão, desde o pulso até a ponta dos dedos?

Numa lavagem contínua, o que está acima do nível no líquido............... não está sendo lavado.

Esvaziar, encher, esvaziar encher teria a vantagem de............ nada. Vantagem nenhuma. :fro:

Abração,

Falando assim ficou bem fácil de entender. E eu complicando achando que podia estar compactando a cama ou arrastando material por aumentar a velocidade devido à coluna de líquido.

Estou usando cerca de 10-25mm de nível no máximo. O que não é relevante para pensar nisso tudo.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
 

Guenther

Administrador
Moderador
Admin
Afiliado
23/4/13
Mensagens
3,828
Falando assim ficou bem fácil de entender. E eu complicando achando que podia estar compactando a cama ou arrastando material por aumentar a velocidade devido à coluna de líquido.

Estou usando cerca de 10-25mm de nível no máximo. O que não é relevante para pensar nisso tudo.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
Eu sempre mantenho o nível do líquido por volta de uns 5cm acima da cama de grãos.

Abraço,
 

leduardol

Well-Known Member
Afiliado
15/1/16
Mensagens
47
Eu sempre mantenho o nível do líquido por volta de uns 5cm acima da cama de grãos.

Abraço,


Boa. Como tô usando um grainfather agora posso ajustar fácil o overflow para isso. Acho que vai até acelerar a lavagem que demorou da última vez.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
 

vinipandolfo

Well-Known Member
Afiliado
25/7/16
Mensagens
110
Com certeza vale a pena. Na minha primeira brassagem eu cheguei até a ferver o mosto sem querer. Pensei em abortar e jogar tudo fora, mas continuei e ela ficou muito boa pra minha surpresa.
EH UMA DECOCÇÃO SEM QUERER HAHAHA

Sempre fiz assim, e sempre saiu uma ceva a fude.
 

Leitao

Well-Known Member
Afiliado
18/2/18
Mensagens
54
Bom, ocorre que existem variações/deturpações da técnica, o que não tem problema algum porque não precisamos seguir regras. O problema que vejo com isso é que as pessoas mudam o processo, e continuam chamando a coisa de BIAB, e isso sim, na minha visão, é errado. O que eu vejo muitas vezes são cervejeiros querendo fazer BIAB, mas com o espírito do "GANHA e GANHA", ou seja, quer ganhar na hora de aproveitar as vantagens do BIAB, mas querem GANHAR NOVAMENTE também na hora da eficiência, e em resumo, não querem dar nada em troca...... e com isso inventam formas mirabolantes de lavar os grãos dentro do saco.......... achando que ganharam em tudo...... mas não se dão conta que estão adicionando TRABALHO e TEMPO ao processo, muitas vezes de tal forma, que o processo BIAB perde o sentido já que estão tendo o mesmo trabalho que se tivessem um equipamento normal de 2 ou 3 panelas, e no fim fica somente a vantagem de ter só 1 panela em vez de 2 ou 3.
Me ocorreu uma dúvida, li que precisamos de 2,5 ~ 3L de água por quilo de grão. No BIAB essa regra não se aplica? Começa com o total de água considerando a perda dos grãos para o inicio da fervura?
 

Lucas Carnetti

Active Member
Afiliado
1/5/18
Mensagens
43
Localização
Novo Hamburgo - RS
Pessoal, um duvida

Como uso fundo falso, durante a lavagem dos grãos eu sempre regulo o quanto vou adicionar de água na panela conforme a quantidade que sai, ou seja, mantendo a alguns centímetros da cama de grãos.
Mas, e se eu retirar todo mosto primário, adicionar água até cobrir a cama de grãos, esvaziar tudo e assim por diante? Qual seria o resultado? Não aumentaria a eficiência, dado o maior tempo de contato da água de lavagem com os grãos?
(obs: sem mexer na cama de grãos, como é feito no batch sparge)
 
Afiliado
21/5/18
Mensagens
18
Localização
Pelotas, RS
Bom dia.
Fiz minha primeira brassagem com Biab. Só experimentei nas medições de densidade, não rendeu nada (me perdi na água). Agora quero usar fundo falso em uma panela só. Até comprei uma bomba de circulação.
Já li em outro tópico sobre Lavagem Contínua. Me perdoem se estiver falando bobagem, mas deixo circulando durante todo o tempo da mostura ? Vai ficar a bomba funcionando 1 hora sem parar ? Não corro o risco de estragar a bomba ? Ou estou falando bobagem, entendi errado ? Obrigado e me desejem sorte.
 

Persevalli

Well-Known Member
Afiliado
21/1/17
Mensagens
376
Bom dia.
Fiz minha primeira brassagem com Biab. Só experimentei nas medições de densidade, não rendeu nada (me perdi na água). Agora quero usar fundo falso em uma panela só. Até comprei uma bomba de circulação.
Já li em outro tópico sobre Lavagem Contínua. Me perdoem se estiver falando bobagem, mas deixo circulando durante todo o tempo da mostura ? Vai ficar a bomba funcionando 1 hora sem parar ? Não corro o risco de estragar a bomba ? Ou estou falando bobagem, entendi errado ? Obrigado e me desejem sorte.
Olá Emílio,
Não vejo a recirculação contínua (durante toda a brassagem, como você citou) como absolutamente necessária, mas ela é uma técnica que melhora a clarificação do mosto em função de passar continuamente pela cama de grãos (filtro) e também pode, dependendo do caso, aumentar a eficiência.
Normalmente este método é usado em conjunto com sistemas elétricos que ajudam a manter a temperatura constante (ex: PID e resistência). Possíveis desvantagens, se não bem feito, pode ser "Hot Side Aeration", perda de temperatura e entupimento em função da compactação da cama de grãos.

Está começando? Não faça. Faça uma brassagem normal e recircule somente no final.
É mais provável que o seu problema de rendimento seja causado por moagem e quantidade de água do que pela sua técnica de mash ou circulação.

Abs
 
Topo