1. We have implemented the ability to gift someone a Supporting Membership now! When you access the Upgrade page there is now a 'Gift' button. Once you click that you can enter a username to gift an account Upgrade to. Great way to help support this forum plus give some kudos to anyone who has helped you.
    Fechar Aviso

Minha primeira brassagem

Discussão em 'Iniciantes' iniciado por Trops, 14/1/20.

Ajude o Home Brew Talk Brasil:

  1. 14/1/20 #1

    Trops

    Trops

    Trops

    Member

    Afiliado:
    26/11/19
    Mensagens:
    23
    Curtidas Recebidas:
    14
    Localização:
    Minas gerais
    Como vai pessoal? meu primeiro post aqui...

    Ontem fiz minha primeira brassagem, 20 L de uma APA, usando Biab.

    Tive a oportunidade de ver meu primo fazendo e tbm estudei bastante, tanto a teoria quanto a prática.

    Mosturação foi tranquilo, consegui ficar sempre em 66 graus (mais ou menos 2), fiz mash out, e lavei o malte um pouco abaixo da temperatura, 68 graus (meu gás da cozinha acabou e ate poderia ter levado o gás do fogareiro para a cozinha e depois voltado com ele pro fogareiro, mas nao acho q valia tanto o trabalho.)

    Fermentação tbm foi bem tranquilo, usei columbus (25g @60min, 10g @0min) para amargor e cascade (25g @10min) para aroma, o resto separado para dry hopping.

    Meu objetivo era transferir 21 L para o fermentador e aumentar para 22L com o starter (safale us-05)

    O grande problema foi na parte de resfriar o mosto, tenho um chiller de contra fluxo que começou a vazar na conexão (testei ele dias antes, mas com água fria, achei q teria dado para quente tbm, lição aprendida), na tentativa de corrigir o vazamento interrompi o a transferência removi a mangueira e voltei a conectar, mas sem sucesso.

    Ai resolvi prosseguir mesmo vazando, devo ter perdido uns 3 litros.

    A OG da receita era 1049 a minha deu 1050, apesar deste dado estar mascarado pelos erros cometidos acho q nessa parte fui bem ainda.

    Mas agora vem meu maior medo, como tentei consertar o vazamento e desconectei a mangueira posso ter contaminado meu mosto, a temperatura do mosto no fermentador foi de 30°C, meu objetivo era inocular a 16°C, mas como o mosto tava sem as leveduras e com risco de contaminação decidi inocular mesmo assim, pois cada minuto perdido era seria usado pelas bactérias contaminante para reproduzir, dai as leveduras talvez pudessem suprimir um pouco tais bactérias, mesmo que 30°C possa gerar um pouco de off-flavor.

    Apesar do contra-tempo acho q deu pra ter uma ideia do processo na pratica, espero que o resultado final seja consumivel, assim compensa ao menos o trabalho q tive limpando o chão onde vazou.
     
    Última edição: 14/1/20
    Leo Franco curtiu isso.
  2. 14/1/20 #2

    GuilhermeAlmeida

    GuilhermeAlmeida

    GuilhermeAlmeida

    Active Member

    Afiliado:
    9/1/19
    Mensagens:
    38
    Curtidas Recebidas:
    33
    Localização:
    Nárnia
    A primeira leva agente nunca esquece, são tantas etapas, tantos erros, parece que tudo vai dar errado.
    Com o tempo, estes problemas tendem a desaparecer, mas o mais importante é focar nas etapas básicas, e nunca esquece-las, pois isto sim pode atrapalhar no resultado final da cerveja.
    A sanitização está em primeiro lugar. Esta etapa deve ser feita em todos os processos, desde a mostura até o envase.

    Sobre a temperatura de inoculação da levedura. Possivelmente a levedura poderá se estressar, gerando esteres indesejados. Se preocupe com isto após o envase, nesta etapa, acredito que não será um problema.
    Temperaturas acima de 30°, para este tipo de levedura, podem não só causar esteres indesejados, assim como também pode matá-las. Então na próxima, passe a cerveja para o fermentador, lacre e aguarde atingir a temperatura ideal. Se o fermentador estiver devidamente sanitizado, a probabilidade de contaminação é extremamente baixa.
    Existem técnicas como o no-chill, que consiste em fazer a refrigeração da cerveja no próprio fermentador ou em outro recipiente, apenas com a troca de calor do ambiente. Então seguindo esta analogia, deixar de inocular a levedura não fará que seu mosto contamine, desde que o recipiente esteja devidamente sanitizado.

    Na etapa do dry-hopping, novamente, deve se tomar cuidado com a sanitização, sanitize tudo que entrará em contato com o fermentador, principalmente as mãos e a parte externa do fermentador, isto garantirá que a contaminação seja mínima, caso ocorra.

    Por fim, agora é aguardar, no final sempre dá cerveja.
     
    Última edição: 14/1/20
  3. 14/1/20 #3

    Trops

    Trops

    Trops

    Member

    Afiliado:
    26/11/19
    Mensagens:
    23
    Curtidas Recebidas:
    14
    Localização:
    Minas gerais
    @GuilhermeAlmeida se não tivesse ocorrido o vazamento eu provavelmente teria inoculado qdo a temperatura estivesse em 18°C ou menos, mas como tive o risco de contaminação resolvi inocular, pois assim criaria a competição entre as bactérias contaminantes e as leveduras, como a levedura estaria em maior quantidade poderia suprimir as contaminantes (claro que não seria 100%), mas realmente eu não estava preparado para a situação.

    Mas mesmo se der errado nao vou deixar isso me desanimar, a primeira vez sempre tem os vacilos neh
     
  4. 14/1/20 #4

    GuilhermeAlmeida

    GuilhermeAlmeida

    GuilhermeAlmeida

    Active Member

    Afiliado:
    9/1/19
    Mensagens:
    38
    Curtidas Recebidas:
    33
    Localização:
    Nárnia
    Sim, a primeira é um desafio.

    Se você tomou todos os cuidados com a sanitização, acredito que não terás problemas.
    Retire amostras para verificar a atenuação do mosto, só assim saberás que a fermentação está acontecendo.
    Como eu já disse, no final sempre dá cerveja.

    Na próxima você acerta esses detalhes.
     
    Trops curtiu isso.
  5. 15/1/20 #5

    marcelo_r_a

    marcelo_r_a

    marcelo_r_a

    Well-Known Member

    Afiliado:
    7/2/17
    Mensagens:
    65
    Curtidas Recebidas:
    34
    Vai dar tudo certo! Nada que vc relatou aí é grave. Sempre da alguma M.. no meio do caminho mesmo. Normal.
     
    Trops curtiu isso.
  6. 22/1/20 #6

    Paulo Machado

    Paulo Machado

    Paulo Machado

    Member

    Afiliado:
    9/9/18
    Mensagens:
    6
    Curtidas Recebidas:
    3
    Localização:
    Mato Grosso do Sul
    A primeira brassagem a gente nunca esquece... e o melhor de tudo é que cada brassagem sempre vai ser como a primeira! Novos imprevistos, novos problemas, sempre na tentativa de solucionarmos e sermos melhores que a brassagem anterior, sempre aparece algo novo! É a graça do processo, pra mim.

    Tudo que eu iria falar aqui, o @GuilhermeAlmeida já disse. Então faço minhas as palavras dele!

    Sanitização é uma das (pra não falar a mais) etapas mais importantes. Mas a contaminação não acontece também da forma que o pessoal fala e amedronta as pessoas por aí. Estude, leia, faça o básico e não tenha medo, vai dar certo!

    Parabéns pela primeira brassagem.
     
    Trops curtiu isso.
  7. 23/1/20 #7

    Carlos Henrique Acero

    Carlos Henrique Acero

    Carlos Henrique Acero

    Member

    Afiliado:
    22/7/18
    Mensagens:
    8
    Curtidas Recebidas:
    3
    Localização:
    São Paulo
    Show Trops! É isso aí, o processo é este mesmo, aprendizado contínuo. Concordo com o pessoal que a regra número 1 é a Sanitização, no demais, vamos nos aperfeiçoando.
    Faço brassagens há 2 anos e ainda aprendo e aperfeiçou a cada nova brassagem.
    Acompanhe seu processo de fermentação para saber quando a levedura terminará seu trabalho e sua OG estabilizar e siga para a maturação. Eu costumo nos últimos 2 dias da maturação baixa a temperatura para 0ºC ou próximo disso para ajudar na clarificação. Se preferir tb pode adicionar neste momento 5g de gelatina incolor e sem sabor que o resultado é fantástico e não altera em nada sua breja.
    Parabéns pela brassagem e sucesso nesta jornada cervejeira.
    Ps. Poste os resultados pra gente acompanhar.
     
    Trops curtiu isso.
  8. 23/1/20 #8

    santanapc

    santanapc

    santanapc

    Member

    Afiliado:
    10/2/19
    Mensagens:
    21
    Curtidas Recebidas:
    10
    Localização:
    Goiania
    opa!!! essas 5 gramas de gelatina incolor é para quantos litros de mosto?
     
  9. 23/1/20 #9

    Carlos Henrique Acero

    Carlos Henrique Acero

    Carlos Henrique Acero

    Member

    Afiliado:
    22/7/18
    Mensagens:
    8
    Curtidas Recebidas:
    3
    Localização:
    São Paulo
    Opss...Sorry! É para 20L.
     
    Trops curtiu isso.
  10. 23/1/20 #10

    santanapc

    santanapc

    santanapc

    Member

    Afiliado:
    10/2/19
    Mensagens:
    21
    Curtidas Recebidas:
    10
    Localização:
    Goiania
    valeu mano!!!
     
  11. 24/1/20 #11

    Leo Franco

    Leo Franco

    Leo Franco

    New Member

    Afiliado:
    29/10/19
    Mensagens:
    2
    Curtidas Recebidas:
    1
    Localização:
    Jeronimo Monteiro-ES
    Boa irmão!!!
    Estou no inicio também, minha 4ª brassagem está quase pronta para a fermentação.
    Erros são comuns de mais, mas são aprendizagens com certeza.
    Boa sorte aí, e poste o resultado da sua cerva para nós.
     
    Paulo Machado curtiu isso.
  12. 24/1/20 #12

    josmmar

    josmmar

    josmmar

    Member

    Afiliado:
    9/6/16
    Mensagens:
    9
    Curtidas Recebidas:
    3
    A primeira sempre é inesquecível, mas no final dá certo.
    Uma coisa que faço e recomendo é anote tudo, todos os seus passos em cada brassagem e esse registro guarde com vc pra sempre, a receita, os tempos, as observações. Lá na frente quando ela estiver pronta, volte lá e registre as suas observações e por aí vai, isso é muito importante para corrigir os seus erros e aprender no final...
     
    1 pessoa curtiu isso.
  13. 24/1/20 #13

    Fabio Raffanini

    Fabio Raffanini

    Fabio Raffanini

    Member

    Afiliado:
    24/1/20
    Mensagens:
    8
    Curtidas Recebidas:
    1
    Localização:
    praia grande
    Minha primeira brassagem foi inesquecível mesmo !!!!
    Contaminou perdi tudo
    Aprendi que só posso tomar cerveja depois que eu fechar o balde fermentador
     
    Trops curtiu isso.
  14. 25/1/20 #14

    Trops

    Trops

    Trops

    Member

    Afiliado:
    26/11/19
    Mensagens:
    23
    Curtidas Recebidas:
    14
    Localização:
    Minas gerais
    Ta no 3 dia de maturação, quarta devo fazer o priming
     
    2 pessoas curtiram isso.
  15. 28/1/20 #15

    Cesar Fernandes Pacetta

    Cesar Fernandes Pacetta

    Cesar Fernandes Pacetta

    New Member

    Afiliado:
    5/12/19
    Mensagens:
    2
    Curtidas Recebidas:
    0
    Localização:
    São Paulo
    Amigos. Estou fazendo minha primeira leva de cerveja. A receita é uma blond ale com mel e extrato de malte seco. Apenas 10 litros, tenho equipamento só pra isso, panela de 15 litros. Fervi 10 litros (água mineral), levantando fervura regressiva de 5 minutos, adicionando extrato de malte seco Pilsen Liotécnica, 30 gramas de Lúpulo Perle, 400 gramas de mel. Resfriamento com chiller de imersão em aproximadamente 30 minutos a 26 graus. A OG deu 1048. Utilizei o fermento Fermento Fermentis - SafAle BE-256 devidamente hidratado por cerca de 20 minutos. Transferi para o balde fermentador despejando o conteúdo para oxigenar. Levei à fermentação em temperatura controlada a 20º (geladeira com controlador). No 3º dia de fermentação o airlock parou. Medi a gravidade estava em 1010. Dexei fermentando No sexto e sétimo dias, FG se manteve em 1005. Coloquei há dois dias para maturar entre 7º e 9º. Qual o problema: nas duas últimas amostras em que medi a gravidade, percebi um aroma que acredito ser off flavor acetaldeído (green apple). Acredito que seja isso, mesmo porque na boca, ficou um pouco ácida. Sanitização com álcool 70 e Iodofor/Água 1ml/litro. Fui rigoroso. Será que irá atenuar esse aroma/sabor com a maturação ?
     
  16. 28/1/20 #16

    Fernando Pedro

    Fernando Pedro

    Fernando Pedro

    Member

    Afiliado:
    9/12/19
    Mensagens:
    7
    Curtidas Recebidas:
    1
    Localização:
    São Paulo
    Olá Cesar, tudo bem?
    Eu fiz a mesma cerveja que você, com os processos muito parecios, foi minha quarta brassagem. Ela está quase pronta, está na segunda semana de carbonatação, mas por curiosidade eu abri uma no fim de semana, e achei ela um pouco ácida também, mas nada que estrague o sabor dela, como usei também o DME, achei que isso pode ter occorido por causa do uso dele, mas no fim de semana vou abrir outra. Abs
    Segue a foto do resultado de uma semana de carbonatação.
    84157930_129344505227003_4164843324668116992_o.jpg 84157930_129344505227003_4164843324668116992_o.jpg
     
  17. 28/1/20 #17

    Eduardfaria

    Eduardfaria

    Eduardfaria

    New Member

    Afiliado:
    3/1/20
    Mensagens:
    1
    Curtidas Recebidas:
    0
    Localização:
    Viamão, RS
    Boa tarde, pessoal! Esse também é meu primeiro post aqui e estou prestes a fazer minha primeira brassagem, mas lendo o post do Trops Beer fiquei com umas dúvidas. Também usarei uma Biab, mas o trops refere-se a uma lavagem do malte, e fiquei confuso, li que no Biab não necessita a lavagem. Outra duvida recorrente, é a temperatura do mostro, quando se faz a imersão do malte a determinada temperatura, se mantem essa temperatura permanentemente ou deixa-se por 60 minutos a temperatura cair normalmente, não necessitando das rampas ou isso depende do tipo de receita? Desculpa se fiz perguntas obvias, mas... eheh! Abraços
     
  18. 28/1/20 #18

    Cesar Fernandes Pacetta

    Cesar Fernandes Pacetta

    Cesar Fernandes Pacetta

    New Member

    Afiliado:
    5/12/19
    Mensagens:
    2
    Curtidas Recebidas:
    0
    Localização:
    São Paulo
    Valeu Fernando!! Boa Sorte! Quando tiver meu resultado final mando por aqui também! Abraço!
     
  19. 28/1/20 #19

    Trops

    Trops

    Trops

    Member

    Afiliado:
    26/11/19
    Mensagens:
    23
    Curtidas Recebidas:
    14
    Localização:
    Minas gerais
    Sim, BIAB não necessita lavagem, eu fiz pq minha moagem foi para panela com fundo falso e fiz a lavagem para aumentar a eficiência, mas eu corrigi o pH da agua de lavagem, se vc nao for corrigir o pH recomendo nao fazer a lavagem para nao ter o risco de extrair taninos..

    Quanto a temperatura vc geralmente faz a imersão qdo a água tiver a uma temperatura um pouco acima da temperatura que vc for fazer a sacarificação ( o próprio Beersmith te dá essa temperatura), meu caso a sacarificação foi a 66°C fiz a imersão qdo a água tava a 71°C, pois como o malte ta em temperatura menor acaba que a água perde calor para o malte. Vc faz a imersão e qdo o líquido ficar 2-3°C abaixo da temperatura que vc quer, vc volta a ligar o fogo até que volte para temperatura desejada, vai repetindo o processo ate completar o tempo desejado, se fizer o teste do iodo melhor ainda.
     
  20. 28/1/20 #20

    GuilhermeAlmeida

    GuilhermeAlmeida

    GuilhermeAlmeida

    Active Member

    Afiliado:
    9/1/19
    Mensagens:
    38
    Curtidas Recebidas:
    33
    Localização:
    Nárnia
    Vamos por partes.
    Não é necessário realizar a lavagem no BIAB, entretanto, é recomendado que realize a lavagem, se você quiser ter uma eficiência maior.

    Sobre a temperatura, varia muito da receita, e sim, mesmo com BIAB, em algumas situações se faz necessário realizar as rampas. Durante a rampa, é importante fazer a recirculação do mosto, para que não caramelize e também para que a temperatura fique mais homogenia possível.

    No geral, para a primeira brassagem, você pode desconsiderar essas etapas, e fazer uma mostura na faixa dos 63°~67° (recomendo fazer a 65°).


    Bom, me parece que você tomou todos os cuidados, mas isto não é algo a se preocupar nesse momento, deixa a cerveja maturar mais alguns dias, e se possível, reduza mais a temperatura, entre 0°~2°.
    Normalmente este aroma tende a sumir durante a maturação. Caso isto não ocorra, engarrafe e aguarde na média de 2~3 semanas para que ela possa arredondar os sabores.

    Para reduzir este defeito, normalmente eu faço uma fermentação secundária, antes de mandar para a maturação. Essa fermentação secundária é feita à uma temperatura superior à temperatura de fermentação. Ex: a fermentação ocorreu na temperatura de 18°, na fermentação secundária, deixei a cerveja à uma temperatura de 24°.
    Chamamos isto de descanso do diacetil.
     
    Última edição: 28/1/20

Rascunho Salvo Rascunho deletado

Compartilhe esta Página

Group Builder