• We have implemented the ability to gift someone a Supporting Membership now! When you access the Upgrade page there is now a 'Gift' button. Once you click that you can enter a username to gift an account Upgrade to. Great way to help support this forum plus give some kudos to anyone who has helped you.

Manipulação de Leveduras - Primeira Tentativa

Home Brew Talk Brasil Forums

Help Support Home Brew Talk Brasil Forums:

Ventin

New Member
Afiliado
11/8/14
Mensagens
4
A fermentação de uma ALE ocorre em 18 a 23 graus e você injeta oxigênio para fermentar. Temperatura e oxigênio (radicais livre) são os fatores mais importantes para mutação (considerando que vc não vai expor a luz, radiação etc). Se você guarda suas leveduras em tubo com soro, ou meio+ágar a 3 graus e ainda com uma camada de oleo mineral (ex vaselina autoclavada numa panela de pressão) para isolar a cultura do oxigênio , você ter pouquissima mutação.
Quando eu faço um starter eu acabo deixa do um pouco para outro starter. Posteriormente quando pronto deixo decantar e separo o decantado em 3 tubos de ensaio com rosca ( 2,50 reais cada) e soro (tudo autoclavado). Eu vou sempre usando apenas 1 tubo para fazer o próximo starter e vou sempre repondo Os outros 2 tubos ficam sempre guardados para um tragédia de por exemplo eu contaminar uma leva e não perder minhas leveduras.
Se você observar esse 2 tubos reservas mesmo depois de 2 anos são ainda da segunda geração. ..
Bom, é assim que eu faço. ...
Espero ter ajudado.
Abraço
 

gabrielcalo

Well-Known Member
Afiliado
25/6/14
Mensagens
618
Como vc está armazenando essa levedura? apenas armazena o slurry em geladeira?

Quanto as mutações, não necessariamente defeituosas, mas acredito que é possível que elas ocorram devagar, porque vc está sempre armazenando células novas, o desenvolvimento e a mutação são coisas naturais, com o passar do tempo, embora esse processo com certeza será mais lento e levará mais gerações pra ocorrer, porque o ambiente do starter é menos estressante do que o ambiente de fermentação da cerveja.

Um risco que vc corre e que é maior do que o risco da mutação é o de contaminar sua fonte, já que está sempre manipulando, poderia acumular contaminantes que podem acabar surgindo eventualmente no processo de propagação.

De qualquer forma, conheço um cervejeiro aqui da região que reutiliza suas leveduras muitas vezes e com sucesso, chega as vezes a 15 gerações ou mais, porém sempre faz uma lavagem ácida no slurry a cada 3 ou 4 gerações pra mante-lo livre de contaminantes.

Vale acrescentar que esse tipo de banco de slurry em geladeira não permite armazenar muitas cepas, porque seriam usadas com pouca frequência, assim o tempo de armazenagem tem que ser relativamente curto e a manutenção relativamente constante.

Abraço

Fala Tiago!

Estou armazenando com glicerina a 10%. Fiz o seguinte Tiago: de um tubo de fermento líquido fiz um starter e os armazenei em recipientes contendo 50% solução glicerina a 20% e 50% lama do starter. São 20mL de slurry do starter e 20mL de solução glicerina, assim tenho no final um frasco com 40mL de solução a 10%. Mantenho a temperatura de congelador.

Pego um frasco desse, reproduzo em um starter, retiro 20mL do slurry deste starter e reponho o meu banco... para teoricamente nunca acabar. Realmente o que me preocupou é a contaminação, apesar de tomar o maior cuidad: autoclavo tudo em panela de pressão e trabalho em um ambiente fechado com um bico de Bunsen aceso.

Não utilizo o slurry de uma leva para fazer o banco pois as chances de invasores é muito maior do que a manipulação nos starters com um ambiente mais controlado.

Obrigado pela ajuda!
 

Ventin

New Member
Afiliado
11/8/14
Mensagens
4
Olá Gabriel...
Humm... o que você chama de slurry do starter é o decantado do starter... ok
Cara, sempre que eu via essa técnica da glicerina e congelamento era para ter uma reserva especial para o futuro. Para guardar aquela levedura que você coletou de uma garrafa artesanal de uma cerveja belga que um amigo trouxe de bruxelas, por exemplo...Sempre que eu lia essa tecnica. Se referiam a 1ml, 2ml em um tubinho, daqueles criogênicos que vão para nitrogenio liquido. A técnica é bem trabalhosa e ocupa um espaço importante no seu freezer...
Eu sugiro guardar umas 2 amostras de cada cepa de leveduras em frascos menores congeladas e essas que você usa mais habitualmente em geladeira com a técnica que você preferir. Do contrário em 2 anos de hobby fazendo cerveja, você vai precisar de um freezer separado só para seu banco de leveduras, porque você vai querer coletar amostras de toda cerveja/cepa especial que passar por suas mãos. ...
De qualquer forma você está indo bem!
 

Tiago

Well-Known Member
Afiliado
11/6/13
Mensagens
3,043
Fala Tiago!

Estou armazenando com glicerina a 10%. Fiz o seguinte Tiago: de um tubo de fermento líquido fiz um starter e os armazenei em recipientes contendo 50% solução glicerina a 20% e 50% lama do starter. São 20mL de slurry do starter e 20mL de solução glicerina, assim tenho no final um frasco com 40mL de solução a 10%. Mantenho a temperatura de congelador.

Pego um frasco desse, reproduzo em um starter, retiro 20mL do slurry deste starter e reponho o meu banco... para teoricamente nunca acabar. Realmente o que me preocupou é a contaminação, apesar de tomar o maior cuidad: autoclavo tudo em panela de pressão e trabalho em um ambiente fechado com um bico de Bunsen aceso.

Não utilizo o slurry de uma leva para fazer o banco pois as chances de invasores é muito maior do que a manipulação nos starters com um ambiente mais controlado.

Obrigado pela ajuda!

Legal cara, quanto a armazenagem vc esta fazendo um dos métodos mais estáveis possiveis em termos de mutação, ja que o metabolismo é praticamente zero.

A questão então seria apenas o que acontece fora da armazenagem, da replicação e passagem das gerações... acho que a única forma de resolver isso seria manter o tubo congelado e tirar pequenas frações dele, replicando sempre a partir da mesma fonte.

Vc poderia passar dali pra uma placa agar, com uma alça de inoculação, ou talvez tirar um mL ou menos com uma pipeta, direto para um starter num tubinho de ensaio.

É uma forma mais trabalhosa de proceder, mas eliminaria com sua preocupação quanto à mutação.

Abraço
 

RanTao

Well-Known Member
Afiliado
10/3/16
Mensagens
64
Bom galera, fiz meu primeiro pequeno banco de leveduras. Estou utilizando a técnica com solução isotônica, mas pretendo depois migrar para a de glicerina.

A única dúvida que estou tendo é a seguinte: quando faço um starter, ao coletar as leveduras, eu preciso lavar esse starter? Para retirar o trub formado? Ou posso deixar 24h na geladeira direito, e do que estiver sedimentado posso tirar amostras para armazenar?

Nessa primeira tentativa não lavei, apenas deixei decantar e da lama formada retirei as amostras... n sei oq vai dar. Daqui um mês tento reanimar uma amostra e preparar um starter.

Olá Gabriel, tem tido exito com o banco de leveduras?
Estou pensando em fazer o mesmo com algumas leveduras que são mais caras, e as que utilizo mais, você poderia me indicar qual técnica das que você testou que funciona melhor?
 

gabrielcalo

Well-Known Member
Afiliado
25/6/14
Mensagens
618
Olá Gabriel, tem tido exito com o banco de leveduras?
Estou pensando em fazer o mesmo com algumas leveduras que são mais caras, e as que utilizo mais, você poderia me indicar qual técnica das que você testou que funciona melhor?

Qualquer uma funciona. Vai depender do que você quer. Se for armazenar uma exemplar, por longo período e depois utilizar - banco congelado é melhor. Se for pra armazenar por um tempo menor e utilizar, solução isotônica é mais indicada.

O grande lance é que você tem que ter um controle muito grande contra contaminações, pq essas leveduras vao estar fracas, estressadas, e quando for reanimá-las e houver um contaminante, provavelmente eles irão sobreviver e estragar sua cerveja.

Atualmente eu faço o seguinte um banco de levedura congelada, para caso necessite no futuro. No entanto, com a que estou ativa vou reutilizando, guardo uma porção do starter na geladeira mesmo caso eu vá utilizar num período próximo, e por aí vai.
 

RanTao

Well-Known Member
Afiliado
10/3/16
Mensagens
64
Qualquer uma funciona. Vai depender do que você quer. Se for armazenar uma exemplar, por longo período e depois utilizar - banco congelado é melhor. Se for pra armazenar por um tempo menor e utilizar, solução isotônica é mais indicada.

O grande lance é que você tem que ter um controle muito grande contra contaminações, pq essas leveduras vao estar fracas, estressadas, e quando for reanimá-las e houver um contaminante, provavelmente eles irão sobreviver e estragar sua cerveja.

Atualmente eu faço o seguinte um banco de levedura congelada, para caso necessite no futuro. No entanto, com a que estou ativa vou reutilizando, guardo uma porção do starter na geladeira mesmo caso eu vá utilizar num período próximo, e por aí vai.

No caso de eu quiser guardar por no máximo 60 dias, posso guardar somente em geladeira, ou precisaria colocar na solução isotônia
 

gabrielcalo

Well-Known Member
Afiliado
25/6/14
Mensagens
618
@RanTao,

Poder pode, mas você tem que ter em mente que a levedura vai perdendo sua viabilidade com o tempo. Será algo similar ao tubo de levedura líquida - ela tem uma data de validade e existem calculadoras que calculam a perda de viabilidade com o tempo.

Para você ter ideia, comprei um tubo da White Labs (WLP500) que já estava próxima do vencimento, uns 4 meses. Deixei ele na geladeira por um bom tempo, quando resolvi startar já estava vencido há uns 2 meses. Mesmo assim resolvi reanima-lo: fiz um starter pequeno de uns 300mL, densidade baixinha e fui subindo gradualmente em cada step.

Consegui reanima-lo, mas tive que levar em consideração que quase não tinham células viáveis ali.

Sobre calculadora de viabilidade, acho que o brewersfriend tem.

Abraço!
 

LucasCoral

Member
Afiliado
9/12/15
Mensagens
10
Aproveitando o tópico...

Posso usar óleo de coco no lugar de óleo mineral? A minha ideia é substituir o óleo mineral que é um derivado de petróleo pelo óleo de coco que é mais natural.
 

pedcana

Well-Known Member
Afiliado
16/11/15
Mensagens
103
Fala Tiago!

Estou armazenando com glicerina a 10%. Fiz o seguinte Tiago: de um tubo de fermento líquido fiz um starter e os armazenei em recipientes contendo 50% solução glicerina a 20% e 50% lama do starter. São 20mL de slurry do starter e 20mL de solução glicerina, assim tenho no final um frasco com 40mL de solução a 10%. Mantenho a temperatura de congelador.

Pego um frasco desse, reproduzo em um starter, retiro 20mL do slurry deste starter e reponho o meu banco... para teoricamente nunca acabar. Realmente o que me preocupou é a contaminação, apesar de tomar o maior cuidad: autoclavo tudo em panela de pressão e trabalho em um ambiente fechado com um bico de Bunsen aceso.

Não utilizo o slurry de uma leva para fazer o banco pois as chances de invasores é muito maior do que a manipulação nos starters com um ambiente mais controlado.

Obrigado pela ajuda!


@gabrielcalo

Pretendo congelar amostras de starter para o "banco Infinito".

Tenho algumas dúvidas.

A glicerina pode ser a Bi-destilada ?

Ao fazer essa mistura (água+ glicerina), devo agitar o tubo para homogenizar com as leveduras antes de congelar ?

Depois de congelada qual o procedimento quando se vai usar... espero descongelar em temperatura ambiente ?

Depois disso, descarto o sobrenadante (água ou dme + Glicerina)?

Por falar nisso, ela (mistura de glicerina/sobrenadante) separa ?

Se tiver a quantidade certa de células viáveis para minha cerveja posso inocular direto ? Ou é sempre necessário fazer um starter, nem que seja para um simples empurrão ...

Agradeço a ajuda.
 

gabrielcalo

Well-Known Member
Afiliado
25/6/14
Mensagens
618
@gabrielcalo

Pretendo congelar amostras de starter para o "banco Infinito".

Tenho algumas dúvidas.

A glicerina pode ser a Bi-destilada ?

Tenho utilizado sem problemas, no entanto, o recomendado é a de origem vegetal.

Ao fazer essa mistura (água+ glicerina), devo agitar o tubo para homogenizar com as leveduras antes de congelar ?


Depois de congelada qual o procedimento quando se vai usar... espero descongelar em temperatura ambiente ?

Depois disso, descarto o sobrenadante (água ou dme + Glicerina)?

Por falar nisso, ela (mistura de glicerina/sobrenadante) separa ?

Se tiver a quantidade certa de células viáveis para minha cerveja posso inocular direto ? Ou é sempre necessário fazer um starter, nem que seja para um simples empurrão ...

Se você tem o n° adequado de células viáveis para que vc faria um starter? O que algumas pessoas fazem é pegar a levedura na quantidade certa e acordar com uma pequena quantidade de mosto e durante o high krausen inocular, para diminuir o lag time, mas não vejo necessidade. Agora, vc precisa avaliar se está utilizando o método certo, conforme explicitei minha opinião em outras respostas, eu, particularmente, não vejo sentido congelar em glicerina uma quantidade enorme de levedura para não precisar starter.

Agradeço a ajuda.

Cara, vou responder apenas aquilo que já não foi respondido neste e em vários tópicos sobre o assunto.
 

pedcana

Well-Known Member
Afiliado
16/11/15
Mensagens
103
Fala @gabrielcalo, primeiramente obrigado pela ajuda Confesso que li bastante aqui no fórum e não achei minhas respostas.
Se puder responder eu agradeço ou se puder indicar os tópicos ou palavras chaves eu procuro.
Não sei o que é, mas a pesquisa não funciona muito bem.

O que ocorre é que deve haver alguma confusão entre o que eu perguntei e o que vc entendeu...

Ao fazer essa mistura (água+ glicerina), devo agitar o tubo para homogenizar com as leveduras antes de congelar ?

Me refiro a mistura com glicerina +agua +leveduras...Não vi nenhum assunto relacionado.

Depois de congelada qual o procedimento quando se vai usar... espero descongelar em temperatura ambiente ?

Confesso que não achei...

Por falar nisso, ela (mistura de glicerina/sobrenadante) separa (após descongelar)?

Me refiro se após descongelar ela fica visível separada...

Obrigado pela atenção!
 
Topo