• We have implemented the ability to gift someone a Supporting Membership now! When you access the Upgrade page there is now a 'Gift' button. Once you click that you can enter a username to gift an account Upgrade to. Great way to help support this forum plus give some kudos to anyone who has helped you.

Entrada e saída do chiller de imersão

Ajude o Home Brew Talk Brasil:

Rodrigo Nunes

Member
Afiliado
21/11/19
Mensagens
6
Localização
São Leopoldo - RS
Boa tarde, cervejeiros!

Sou iniciante, mas já fiz uns 50 lotes de cerveja anteriormente. Explico: há uns 4 anos, eu e um amigo começamos a fazer cerveja de maneira "roots", como ele dizia. Pegamos umas panelas grandes que havia disponível e fazíamos BIAB. Aumentamos as quantidades produzidas mas nunca melhoramos em qualidade. Nunca fizemos sanitização, medimos densidade, tampouco controle de temperatura na fermentação. Volta e meia explodia um lote inteiro de garrafas, sem contar os nítidos e presentes off-flavours. O tempo passou e eu me anojei da lida.
De uns tempos pra cá, comecei a ler mais e percebi que fazendo as coisas direito é possível fazer uma ceva boa em casa. Fiz um curso há uns três meses e comecei a me equipar pra fazer 20 litros de ceva no apê.

Depois dessa breve apresentação, vai a minha dúvida: para melhor desempenho do chiller de imersão, a entrada d'água deve ser pelo ponto mais baixo do chiller ou por cima? Digo, por onde deve entrar a água fria e por onde deve sair a água quente? Já li sobre isso em algum lugar desse fórum mas nunca mais achei o tópico.

Cheers!
 

Caramba

Well-Known Member
Afiliado
12/4/16
Mensagens
134
Sempre me baseio aqui: https://loja.weconsultoria.com.br/chiller-simples-p257/

Manual de Uso
Dicas de uso:

  • Quando usado com entrada da água da torneira ou água resfriada, faça a entrada ser pela espiral inferior. A troca térmica será mais eficiente.
  • Se usado como um pré-chiller, faça a entrada da água ser pela espiral superior. Assim ela irá gradualmente resfriar e ao sair pela espiral inferior estará mais gelada.
  • Apesar de possível, não recomendamos passar mosto por dentro do chiller por questões de garantias de assepsia. É muito mais difícil limpar e sanitizar o chiller internamente do qu externamente.
 

Mittelfruh

Well-Known Member
Afiliado
21/10/15
Mensagens
87
"É muito mais difícil limpar e sanitizar o chiller internamente do qu externamente." Acho que isso está ao contrário não?

Quanto a experiência com pre-chiller. Na minha experiência, eu achei melhor conectar o chiller na torneira até baixar bem a temperatura do mosto e somente começar a passar com o pre-chiller. Usando o pré-chiller direto o gelo derretia muito rápido e não notei uma queda melhor na temperatura do mosto. Aí quando tinha que resfriar para até 18 graus o gelo já tinha ido embora.

O que eu faria então é cChiller "normal" até uns 30-40 graus e depois usar o pré-chiller em gelo pra atingir a temperatura de pitching correta.

Abçs
 

Rodrigo Nunes

Member
Afiliado
21/11/19
Mensagens
6
Localização
São Leopoldo - RS
Quanto a experiência com pre-chiller. Na minha experiência, eu achei melhor conectar o chiller na torneira até baixar bem a temperatura do mosto e somente começar a passar com o pre-chiller. Usando o pré-chiller direto o gelo derretia muito rápido e não notei uma queda melhor na temperatura do mosto. Aí quando tinha que resfriar para até 18 graus o gelo já tinha ido embora.
Pois é. Fiz a minha primeira leva no apê esse sábado. A temperatura na rua tava em torno de 35°C e a água da torneira em 27 mais ou menos. Consegui sair da fervura para os 26°C em torno de 20 minutos, mas para baixar dos 26 para os 23°C levei mais uns 25 minutos. Acredito que se eu tivesse colocado o gelo depois teria conseguido quebrar essa barreira mais fácil. Enfim, vou testando.

Foda que no tempo de transferência para o fermentador aumentou ainda mais a temperatura devido a temperatura ambiente alta. No fim das contas quando terminei a transferência o mosto tava em 25°C. Inoculei o fermento e taquei no frigobar, espero que não dê muitos problemas. Tá fermentando.
 
Afiliado
28/11/19
Mensagens
5
Localização
Poços de Caldas, MG - Brasil
Fala Rodrigo...

Rapaz... Nas levas que faço não fico muito preso a chegar a baixas temperaturas para a inoculação... Normalmente chego entre 30 e 25 graus, inoculo e mando direto para a geladeira para chegar a 18C.
Se esperar abaixar muito com o uso do Chiller começa a perigar de contaminar... Nessa faixa (30C a 25C) as leveduras não morrem (altas temperaturas que seria problema) e em breve já chegam aos 18C na geladeira ideal para a fermentação.

Com certeza sua cerva vai ficar boa se mandou o mosto a 25C para a geladeira, o importante agora e controlar a temperatura da geladeira.

Abraços

Rodrigo
 

Mittelfruh

Well-Known Member
Afiliado
21/10/15
Mensagens
87
Copiando as palavras do gunther do post de lá..

"O que vou fazer? Usar o gelo num pré-chiller ou qualquer outra coisa desde o começo? Claro que não, e disso todo mundo sabe, porque o gelo será todo consumido, e depois será impossível baixar pra perto de 10 graus se eu não tenho mais gelo no final.

No começo, quando o mosto está fervendo, eu consigo um grande resfriamento mesmo com água da torneira a 20 graus, porque o diferencial DELTA T entre eles é grande (100 graus do mosto, pra 20 graus da água). Agora, a medida que o mosto vai resfriando e baixando pra 40, 30 graus... o DELTA T entre eles cai, então o resfriamento começa a ser muito lento.... NESTE momento que eu devo usar o gelo, pra conseguir usar uma água com temperatura baixa, aumentando o DELTA T entre o mosto e a água novamente, assim eu consigo trocar calor entre eles."
 

Latest posts

Topo