• We have implemented the ability to gift someone a Supporting Membership now! When you access the Upgrade page there is now a 'Gift' button. Once you click that you can enter a username to gift an account Upgrade to. Great way to help support this forum plus give some kudos to anyone who has helped you.

Dry Hop com validade @_@!

Ajude o Home Brew Talk Brasil:

Budha

Active Member
Afiliado
17/10/16
Mensagens
25
Olá pessoal, minhas IPAS costumam perder todo o fantástico aroma do momento do envase, ou daqueles 20 -30 dias pós envase (contando o tempo do priming)... to bem curioso para saber o que pode ser:rolleyes:...

No geral elas duram aproximadamente 40 dias, sendo que existe uma queda perceptivel de aromas já aos 30 dias, com priming.

Cito ex. a IPA que fiz com 300gr de Cascade, adicionados após 7 dias de fermentação primaria e retirados só pra lavar o fermentador ...usei hop bag e foi uma das melhores extrações pois o lúpulo saiu com pouco cheiro. Essa IPA tava grossinha, com 1,068 de OG e 1032 de FG , rendeu 72L.

Agora estou com outra IPA de 250gr de mandarina e 100 de cascade para colher, vai dar próximos 85L de OG 1070...

Poderia as baixas atenuações influenciarem nos aromas do lúpulo? Tenho esse problema aqui que tb não consigo dar jeito... não é pitch rate pq ja fiz conta bem certinho rsss, só gastei com levedura a mais e meu setup é controlado pelo controlador da geladeira sem posso termométrico... poderia a temperatura diferencial entre a geladeira (termômetro) e o interior do fermentador dar tanta diferença q anda me sacaneadndo na fermentação?
 

marcelo_r_a

Well-Known Member
Afiliado
7/2/17
Mensagens
71
Bom dia, @Budha. Cara, o aroma do lúpulo é volátil mesmo, e ipas devem ser tomadas frescas. Quanto antes melhor. Mas,....
O primming tbm não dá o melhor resultado com ipas. A sedimentação do fermento vai sempre levar algum lúpulo junto.
A baixa atenuação vai sim interferir na percepção do lúpulo. Sua cerveja está com muito açúcar residual, e ele vai "competir" com o lúpulo, na percepção de amargor e sabor.
A água tbm faz muita diferença na percepção do sabor do lúpulo, e é importante ajustar a proporção de sulfato e cloreto.
Por fim, problema de atenuação indica problema na temperatura de brassagem, e não de fermentação.
 

Budha

Active Member
Afiliado
17/10/16
Mensagens
25
Bom dia, @Budha. Cara, o aroma do lúpulo é volátil mesmo, e ipas devem ser tomadas frescas. Quanto antes melhor. Mas,....
O primming tbm não dá o melhor resultado com ipas. A sedimentação do fermento vai sempre levar algum lúpulo junto.
A baixa atenuação vai sim interferir na percepção do lúpulo. Sua cerveja está com muito açúcar residual, e ele vai "competir" com o lúpulo, na percepção de amargor e sabor.
A água tbm faz muita diferença na percepção do sabor do lúpulo, e é importante ajustar a proporção de sulfato e cloreto.
Por fim, problema de atenuação indica problema na temperatura de brassagem, e não de fermentação.
Tão ...envasei essa ai de Mandarina e recomendo o Bixim eim! Tá sensacional, bebi dois copos direto do cônico hauhauha, grato pelos toques, vou dá uma filosofada aqui sobre.
No entanto, as rampas eu cuido muito, e ja verifiquei que o termômetro de queijo que uso é bem exato... estava verificando todas atenuações minhas e vi que circundão ao máximo 50% pra menos :/ , nunca dei bola mas três anos fazendo o cara cria vergonha na cara e quer saber o porque rsss... notei que:

Utilizando leveduras da Lev Teck possuem no geral gradiente de trabalho de 4ºC e em função de trabalhar 4 cônicos no mesmo freezer sempre vinha trabalhando na estica de um ou outro fermento, e segundo curso aqui na acerva pode a temp variar até mais de 5º da medição de um poço comparado com o medidor nativo da gela... Moral, vou instalar um poço Hoje! rsss

Irei utilizar leveduras com um range de temp. mais amplo.

Faço uso de Lama até 4x ... mas não verifiquei erros em função disso.

Sei que a água ta sendo a minha última fronteira rsss, mas irei deixar mais pra frente, pois adicionar tais sais vai meio contra as diretrizes que implementei no conceito da minha bera.
 

marcelo_r_a

Well-Known Member
Afiliado
7/2/17
Mensagens
71
@Budha, quanto ao uso dos sais na água, o importante de se ter em mente, é que cada lugar do mundo tem uma água diferente, e na maioria das vezes, o estilo de cerveja que se destacou nesses lugares se destacou porque foi favorecido pela água do local. Por ex. Dublin possuí muito bicarbonato de sódio em sua água, o que favorece cervejas escuras, e por isso eles desenvolveram as cervejas escuras lá, e são famosos pela Guinnes. Não é que eles não façam outros estilos, mas as escuras se destacaram lá. Não por escolha, mas por tentativa e erro dos cervejeiros mesmo. A água de Burton é cheia de sulfato e eles são famosos pela IPA. Então, não é que não de pra fazer cerveja sem a correção dos sais minerais da água, mas esse ajuste de acordo com o estilo, é fundamental para um acabamento fino na cerveja. E cara, dá outra vida nela. É como colocar sal na comida. Aliás, é literalmente colocar sal na comida. Só que é bebida! Kkkkkkk.

Quanto a baixa atenuação, cara eu aposto com vc que não é a temperatura de fermentação. Aposto o que vc quiser que é a temperatura de brassagem. Vc vai ficar puto comigo, e dizer que tem certeza que não é... Eu sei... Me desculpe. Mas nao tem como vc ter travado todas as suas fermentações com temperatura de fermentação. É praticamente impossível. Leveduras liofilizadas são muito estáveis e se tiver açúcar disponível elas vão comer. Pode gerar off flavor, pode até vir a dar uma merda uma vez ou outra, mas não ia ser sempre.
Mas é fácil de vc tirar a prova. Tira uma amostra da sua próxima fermentação e põe essa amostra em temperatura ambiente. Ela vai fermentar em uns 3 dias e vc vai saber o quanto de açúcar disponível para ser fermentado tinha no mosto.
 

Budha

Active Member
Afiliado
17/10/16
Mensagens
25
[QUOTE=".... Guinnes. ...Ela vai fermentar em uns 3 dias e vc vai saber o quanto de açúcar disponível para ser fermentado tinha no mosto.[/QUOTE]

Top... Top top... Comecei a alquimia avançada! ;) Comprei ácido láctico para equalizar o pH da água de lavagem do bagaço.... queria medir pela fita mas não achei aqui logo em cima do grito. Usei um treco de medição para piscina que tem uns líquidos reagente que mede cloro e ph. Complica um pouco a interpretação, mas tem ampla faixa de leitura. Mas sei q a fita é o ideal.
Também to decidido a fazer um curso e uma análise de água laboratorial hehe....

A temperatura Nós Vai Briga memu! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk mas o importante é saber o porque né mano! :D

Ai criei vergonha na cara! Comprei um posso, instalei dei uma rapada no sensor pq não entrava (foco de cagada!), equalizei com água quente e água fria a leitura do sensor em relação ao termômetro de queijo, e pasme mano!
Essas léguas realizei uma metodologia que aprendi com a Gabriela da LevTeck aqui no curso da acerva SC.... vc acaba a fervura e inocula 3ºC a 4º Graus abaixo da temp que escolheu.... isso tem uns par de porque... em fim, o fermento não joga cerveja (espuma) fora quando vc rende mais e avança no headspace...Moral... coloquei o mosto as 5:17pm do dia da brassagem. Sensor estava como veio de fábrica (na parte superior do teto, dentro de um tubo, de meu refrigerador, aqueles de açogue) . Exatamente as 5:34 am do dia segunte tirei o sensor do teto, local nativo, e introduzi ele no poço, comprei um grandão vai lá na meiota dos 100L.:cool:

Divinha mano!
A setagem de 8ºC com o sensor nativo, nessas horas todas, deixou meu mosto em apenas 14,1ºC, eu ainda esperava ele a 13ºC.... o 8 foi porque imagine entre o clássico 4ºC de desnível que o pessoal comenta.Veja bem a diferença! o_O Neste caso o mosto resfriado em torno de 22º pelo chiller de serpentina, acredito, estabilizou-se em 14ºC com uma setagem de 8 (acho que mais tempo não ia baixar mais), considerando 6ºC de stress, poderíamos supor que tá ai o problema? :rolleyes:
 
Última edição:
Group Builder
Topo