Cepa Brazilian Ale (YLB6001)

Discussão em 'Receitas & ingredientes' iniciado por arnaud, 11/7/18 às 18:44.

  1. 11/7/18 às 18:44 #1

    arnaud

    arnaud

    arnaud

    Member

    Afiliado:
    2/8/17
    Mensagens:
    21
    Curtidas Recebidas:
    7
    Olá caros bruxos,

    Resolvi criar esse tópico para compartilhar nossas experiencias com a cepa Brazilian Ale 02 (ylb6001).

    Estou com 22L de quadrupel fermentando. OG1,094 com +-20% de caramelos e melado e 80% pilsen. FG estimada 1,012.
    Fiz um starter de 1,7L com frasco vencido de 8 meses.
    A fermentação começou normalmente, borbulhou em menos de 24h, fermentou rapidamente os primeiros dias a 20°. Chegando em 1,050 desacelerou e atenua +-um ponto por dia, mesmo aumentando pra 25°.
    As amostras do fermentador têm um aroma frutado complexo, um leve toque de cereja e banana. O sabor já está agradável. Não sinto álcool apesar dos 7,8abv atuais. Eu acho que vai dar cerveja boa, só não sei quando vai sair! Mdds.png
     
    Última edição: 11/7/18 às 19:02
  2. 11/7/18 às 19:39 #2

    Rochaff

    Rochaff

    Rochaff

    Member

    Afiliado:
    17/11/17
    Mensagens:
    18
    Curtidas Recebidas:
    1
    Fala Arnaud!
    legal a receita hein! Certamente está com cara de cerveja boa!
    O pessoal da Yeastlab garante 200 bilhoes até a data do vencimento, então mesmo tendo 8 meses de vencido devia ter bastante levedura aí! Como você calcula o pitching rate em suas receitas exatamente? Do ponto de vista tradicional, tem um underpitching aí, mas você já comentou que isso é proposital nessas receitas né, então por isso perguntei.
    Não notou nenhum fenol nela?

    Vou resumir a minha única experiência com a brazilian ale, (foi uma belgian golden strong ale, OG 1.062):

    Esse lote meu foi só pepino, por isso batizei ele de DEURUIM (em referência a DELIRIUM, já até fiz o rótulo, depois posto aqui kkkk).
    Pra começar, quando fui brassar (num domingo), vi que faltava 1 kg de pilsen que achei q tinha em casa mas não tinha. Então antes da moagem eu ja tinha 2 problemas: um starter inerte da brazilian ale, 10 pontos a menos na minha OG, que era pra ser 1.072. Resolvi brassar mesmo assim e inocular a levedura no dia seguinte pq nao confiei naquele starter que nem deu sinal de vida em 36h. Dia seguinte inoculei 2 frascos de brazilian ale recem comprados na brewshop, do mesmo lote da que tentei usar no starter, mas dessa vez foi sem starter mesmo, o que é recomendado pelo fabricante. Estava com pitching rate adequado segundo calc do brewers friend. Após 3 dias medi SG de 1.035 e ficou nisso durante uma semana inteira mesmo chacoalhando o fermentador e aumentando a temperatura. Nesse momento a cerveja estava uma bomba de fenóis, mas bastante agradáveis (pimenta e cravo). Quando medi a SG 1.035 pela segunda vez após 1 semana, percebi uns fungos na região externa das bombonas e nas paredes da geladeira. Associei os fungos com esse perfil cheio de fenois e............bom, pode ter rolado uma contaminação por bretta nesse lote. Mas o perfil era muito agradável, então resolvi inocular uma t-58 pra finalizar. A t-58 (e/ou bretta) arrastou a FG pra incríveis 1.005 (FG prevista era 1.012 com a brazilian ale) e adicionou um frutado muito interessante, algo lembrando melão e maracuja (só usei lúpulo de amargor, saaz). Equilibrou bastante o perfil dela. No momento ela está em cold crash -2ºC por 1 semana. Esqueci de dizer q separei em 2 bombonas, sendo 1 sem especiarias e outro com cardamomo, pimenta do reino e semente de coentro. A versão com especiarias está muito boa, a outra está só boa, vamos ver o que vai dar no final!
    Abç,
    Felipe
     

Compartilhe esta Página