Carbonatação forçada "a quente" e envase por contra-pressão

Discussão em 'Envase' iniciado por cgfischer, 7/12/16.

  1. 7/12/16 #1

    cgfischer

    cgfischer

    cgfischer

    Well-Known Member

    Afiliado:
    22/6/15
    Mensagens:
    384
    Curtidas Recebidas:
    126
    Olá, Pessoal.

    Num futuro não muito distante, gostaria de me livrar das garrafas (mantendo só algumas) e começar a brincar com postmix.
    Porém não pretendo, por enquanto, ter um kegerator ou uma geladeira exclusiva para abrigar o postmix/cilindro.

    Aí que vem a questão: Vocês acham muita viagem e/ou vêem algum problema técnico em carbonatar o postmix a temperatura ambiente (usando a tabela de carbonatação forçada) e depois ir envasando por contra-pressão sob demanda, tipo, "vou envasar meia duzia e por na geladeira para beber amanhã" ?

    É viável carbonatar à temperatura ambiente?

    É possível, nessas condições, envasar sem fazer espuma?

    @hilarioantunes, essa dúvida é sua também.

    Abraço!
     
    hilarioantunes curtiu isso.
  2. 7/12/16 #2

    muhammad

    muhammad

    muhammad

    Active Member

    Afiliado:
    26/6/16
    Mensagens:
    37
    Curtidas Recebidas:
    6
    Cara, o problema e que o CO2, não vai dissolver na cerveja gerando a carbonatação em temperatura ambiente... a não ser que esteja no polo sul....
     
    cgfischer curtiu isso.
  3. 7/12/16 #3

    RodrigoSchuch

    RodrigoSchuch

    RodrigoSchuch

    Well-Known Member

    Afiliado:
    28/9/16
    Mensagens:
    281
    Curtidas Recebidas:
    63
    em teoria, até pode.. porém terá que usar uma pressão maior para obter o volume de CO2 desejado..
    além disso, pra envasar por contra-pressão, teria que ser bem feito: com uma pressão ainda maior do que a qual a cerveja está carbontada.. então talvez passe trabalho (principalemtne com aquelas de contra-pressão que fica segurando a garrafa)

    abraço!
     
    cgfischer curtiu isso.
  4. 8/12/16 #4

    Guenther

    Guenther

    Guenther

    Administrador Moderador

    Afiliado:
    23/4/13
    Mensagens:
    3,826
    Curtidas Recebidas:
    3,016
    Opa..... essa informação está incorreta.

    Qualquer líquido pode ser carbonatado em temperatura ambiente. Temperatura só facilita pela absorção mais fácil que, em baixa temperatura, a pressão necessária é mais baixa, e isso também faz as moléculas de mexerem mais devagar, o que gera menos colisões entre elas, fazendo com que o CO2 fique mais facilmente "preso" (aqüefeito), por isso a "absorção mais fácil".

    @cgfischer, sim, vc pode fazer tudo que falou, mas saiba que para envasar cerveja a quente é preciso manter a pressão do sistema na hora do envase superior ao necessário para ela não espumar. Assumindo que a quente vais precisar de uma pressão estabilizada de carbonatação em torno de 2 a 2,5kg, vais precisar usar uns 3kg de pressão no sistema na hora de envasar... e aí fica a pergunta, você vai conseguir segurar o contra-pressão na garrafa com essa pressão toda? Te digo que é bem difícil.

    Abraço,
     
    cgfischer e Korvocore curtiram isso.
  5. 8/12/16 #5

    cgfischer

    cgfischer

    cgfischer

    Well-Known Member

    Afiliado:
    22/6/15
    Mensagens:
    384
    Curtidas Recebidas:
    126
    Hum... interessante.
    Então, era isso que eu estava precisando entender, se é "factível" carbonatar a essa temperatura e se é possível envasar.
    Resumindo então: carbonatar é ok, desde que observadas as pressões necessárias. Já envasar pode ser complicado, mas não necessariamente impraticável.
    Abraço!
     
  6. 8/12/16 #6

    tomazela

    tomazela

    tomazela

    Well-Known Member

    Afiliado:
    12/1/16
    Mensagens:
    1,649
    Curtidas Recebidas:
    429
    Cara você terá bastante dificuldade de envasar a quente, principalmente pelo que o Guenther disse sobre a pressão...

    Quando pressurizar a garrafa, vai precisar manter um força com uma das mãos para que o contra-pressão não pule e olha que o bicho pula bem já com 1kg.

    Se a garrafa estiver vazia vai ser só um estourinho, agora se ela tiver cerveja, você vai ver a caca...uhahau

    Outro ponto sobre a pressão é que a cerveja quente, tende a desprender o CO² mais rápido e consequentemente suas cervejas podem ficar "chocas".

    O ideal é que a carbonatação antes de envasar esteja um pouco maior do que quando extrai do PostMix, para compensar essa pequena perda.


    [ ]´s
     
  7. 8/12/16 #7

    tomazela

    tomazela

    tomazela

    Well-Known Member

    Afiliado:
    12/1/16
    Mensagens:
    1,649
    Curtidas Recebidas:
    429
    @Guenther lendo sua resposta fiquei com a pulga atrás da orelha...

    Quando eu envaso, tenho que aliviar a pressão da garrafa bem devagar para não espumar.

    Tenho cilindro de CO² com duas saídas.

    O controle de pressão é único e eu sempre ligo uma saída de gás no postmix e outra no Contra-pressão.

    Como só tenho um controle, normalmente a pressão da garrafa é igual a do barril e consequentemente só começa o enchimento quando libero o alivio do contra-pressão...

    Como você mencionou que a pressão da garrafa deve ser superior, no meu caso, eu teria que desconectar a entrada de gás do postmix e ir pressurizando o barril somente o suficiente para extrair e ir complementando a pressão conforme vá diminuindo a ponto de parar de sair a cerveja?
     
  8. 9/12/16 #8

    Guenther

    Guenther

    Guenther

    Administrador Moderador

    Afiliado:
    23/4/13
    Mensagens:
    3,826
    Curtidas Recebidas:
    3,016
    Não não, o que quero dizer e que se a cerveja está carbonatada numa pressão estabilizada X, na hora de envasar vc deve pressurizar tudo com uma pressão levemente maior... já que se expor a cerveja a pressãoXtemperatura menor, ela espuma.

    Resumindo.... estou com um barril na câmara com 1kg........ se resolvo envasar ele, eu regulo uns 1,5kg (tanto pra ele, quanto para a garrafa).

    Quando começamos a aliviar a pressão na garrafa, esse "alivio constante" faz a pressão do sistema baixar, fazendo com que enquanto a cerveja se movimenta na linha, ela possa espumar, então por isso que devemos ter uma "sobra" de pressão.

    Abraço,

    Guenther
     
  9. 9/12/16 #9

    tomazela

    tomazela

    tomazela

    Well-Known Member

    Afiliado:
    12/1/16
    Mensagens:
    1,649
    Curtidas Recebidas:
    429
    Entendi...

    Semana passada envasei minha primeira leva no contra-pressão e usei a mesma pressão que estava estabilizada...

    Não espumou muito pois estava a 5C. Espumava no momento de quebrar a pressão para tirar o enchedor.
     
  10. 25/12/16 #10

    alexandrelopes

    alexandrelopes

    alexandrelopes

    Well-Known Member

    Afiliado:
    30/9/14
    Mensagens:
    69
    Curtidas Recebidas:
    38
    Guenther, por isso que quando quando se faz carbonatação forçada em temperatura ambiente, é muito mais difícil da pressão se estabilizar?

    Andei usando um carbonator cap para carbonatar uma amostra, e percebi que em temperatura ambiente, é muito mais difícil de conseguir estabilizar a pressão na garrafa pet.

    Já com a cerveja gelada, fica muito fácil para estabilizar a pressão na garrafa.

    Até pensei que em temperatura ambiente, o liquido absorvia mais co2...

    Mas na verdade então, tem haver com a agitação das moléculas. Quanto mais gelada a cerveja, menos velocidade das moléculas, o que resulta em menos colisões entre elas, e consequentemente menos desprendimento de co2.

    Obrigado pela explicação.
     
  11. 5/1/17 #11

    Guenther

    Guenther

    Guenther

    Administrador Moderador

    Afiliado:
    23/4/13
    Mensagens:
    3,826
    Curtidas Recebidas:
    3,016
    Eu não diria mais difícil de estabilizar, mas sim que a absorção de CO2 é mais lenta. Uma vez estabilizado, pronto.

    Abraço,

    Guenther
     
  12. 28/2/18 #12

    cleitonscholl

    cleitonscholl

    cleitonscholl

    New Member

    Afiliado:
    18/3/15
    Mensagens:
    4
    Curtidas Recebidas:
    0
    Senhores. Aproveitando o gancho, terminei a maturação de uma lager e estou carbonatando a mesma a 8 dias (carbonatação forçada). Nos 4 primeiros dias estava mantendo a pressão em 1,3 kgf/cm² a 5º C (limitação da geladeira). O problema é que o gás simplesmente não estava entrando no líquido (a cerveja parecia chá). Aumentei a pressão no barril para 1,9 kgf/cm² e consegui baixar a temperatura para 3º C por mais 4 dias e a condição da cerveja permanece a mesma. Pelas tabelas de carbonatação forçada, eu já estaria colocando um volume de gás muito superior ao determinado para o estilo, mas o gás não quer entrar no líquido. Verifiquei possíveis pontos de vazamento e está tudo OK. Conferi a temperatura várias vezes e permanece em torno de 3º C. Alguém já possou por essa situação e poderia contribuir com uma possível solução? Grato desde já.
     

Compartilhe esta Página