Home Brew Talk Brasil Forums > Home Brewing > Cerveja sem glúten > Guia de malteação de milho e outros cereais

Responder
 
Opções Display
Antigo 17-12-2013, 04:05 PM   #11
davipetry
Recipes 
 
Registo: Jun 2013
Msgs: 115
Liked 8 Times on 8 Posts

Default

hahahahaha também achei estranho o malte brotar. O que coloca em dúvida a qualidade do pilsen argentino (comprado na WE).

O interessante é que o pé pegou super bem, deu umas 5 "espigas" com cerca de 6 grãos em cada. E esses grãos eu replantei e estão crescendo muito bem tbm.


davipetry está offline
 
Responder com Quote
Antigo 17-12-2013, 10:16 PM   #12
rodrigo
Recipes 
 
Registo: Jun 2013
Msgs: 274
Liked 99 Times on 77 Posts
Likes Given: 67

Default

Como se o nosso malte nacional fosse de boa qualidade também...

O último que eu comprei vieram mais pedras do que malte, quase queimei minha furadeira no moinho.



Dcylab(aliás, qual seu nome?), a casca do milho maltado é suficiente para fazer o filtro para a recirculação, ou é uma mostura complicada?


rodrigo está offline
 
Responder com Quote
Antigo 17-12-2013, 11:51 PM   #13
dcylab
Recipes 
 
Registo: Aug 2013
Location: Washington, DC, EUA
Msgs: 53
Liked 44 Times on 27 Posts
Likes Given: 1

Default

Rodrigo, já li que sim, se você não moer muito. Até agora eu só fiz BIAB com milho, e não tive problemas. Para obter maior eficiência, é melhor moer bem, até virar farinha, e usar palha de arroz para fazer o filtro. Quando fiz uma saison com malte de milheto (também 100%) eu fiz isso, e filtrou perfeitamente.

Os moedores de rolo não conseguem moer o milho. Eu uso um moedor de disco chinês que, apesar de tudo, acaba funcionando bem. Aliás, se for fazer cerveja especificamente sem gluten (para celíacos) vai ter que usar um segundo moedor, para não contaminar com a cevada/trigo/etc.

- Cláudio
dcylab está offline
2
People Like This 
Responder com Quote
Antigo 19-01-2014, 06:45 AM   #14
MauricioNestor
Recipes 
 
Registo: Jan 2014
Location: Cascavel, Paraná
Msgs: 11
Liked 2 Times on 2 Posts

Default

Quote:
Mensagem Original de davipetry Ver Mensagem
O interessante é que o pé pegou super bem, deu umas 5 "espigas" com cerca de 6 grãos em cada. E esses grãos eu replantei e estão crescendo muito bem tbm.
Cara, tu consegue me mandar umas sementes pra mim? também quero meus pezinhos de cevada kkkk
MauricioNestor está offline
 
Responder com Quote
Antigo 20-01-2014, 08:04 AM   #15
davipetry
Recipes 
 
Registo: Jun 2013
Msgs: 115
Liked 8 Times on 8 Posts

Default

Quote:
Mensagem Original de MauricioNestor Ver Mensagem
Cara, tu consegue me mandar umas sementes pra mim? também quero meus pezinhos de cevada kkkk
Cara, acabei replantando todas as sementes que nasceram, tenho agora uns 12 pés de cevada. Quando os grãos estiverem prontos para serem colhidos (e se tiverem uahsuhaus) eu envio alguns pra ti sim, sem problemas. O que você pode testar é tentar plantar alguns grãos do malte pilsen mesmo, foi assim que eu consegui o primeiro pé.
davipetry está offline
 
Responder com Quote
Antigo 21-01-2014, 09:41 AM   #16
MauricioNestor
Recipes 
 
Registo: Jan 2014
Location: Cascavel, Paraná
Msgs: 11
Liked 2 Times on 2 Posts

Default

Daqui a pouco vamos fazer um guia do tipo "da terra para o copo: como cultivar, maltear e fazer sua cerveja" hahahaha
MauricioNestor está offline
AlexCorsato Likes This 
Responder com Quote
Antigo 01-08-2014, 12:35 AM   #17
Violante
Recipes 
 
Registo: Jul 2014
Location: Cuiaba, MT
Msgs: 17
Liked 1 Times on 1 Posts
Likes Given: 1

Default

Quote:
Mensagem Original de dcylab Ver Mensagem
Já fiz duas vezes um malte de milho com um método bem simples e econômico. Preparado corretamente, o malte de milho tem um gosto diferente mas interessante. Até que funciona bem em termos de enzimas e conversão. Não é tão eficiente como o malte de cevada, mas mesmo assim dá certo fazer uma cerveja usando 100% malte de milho.

Primeiro vou explicar a parte da malteação. Por favor desculpem todos os erros na escritura. Espero que a informação em si seja útil.

O meu metodo é uma adaptação do que eu aprendi de três fontes: os guias do australiano Andrew Lavery (Gluten-Free Malting and Brewing), o artigo na revista BYO de janeiro 2013 de Graham Anderson, e o blog Brewing Beer the Hard Way. Também usei como referência um site antigo sobre chicha de jora, a cerveja peruana feita com malte de milho (maiz jora).

http://dcylab.files.wordpress.com/20...___eb_2006.pdf
http://brewingbeerthehardway.wordpress.com/
http://xb-70.com/beer/chicha/

Na minha última tentativa, eu comecei com 6 libras (2.7kg) de milho de pipoca. Foi o que coube na minha bacia (pode ser também um balde ou uma panela grande, ou...). Precisei de um espaço plano de ~1m² para germinar e secar os grãos. Demorou mais ou menos uma semana para ficar pronto.

Estou escrevendo de memória, infelizmente, mas acho que lembro bem o que aconteceu. Começamos:

No meu caso é ideal começar de noite na sexta-feira.

1. Lavar. Lave bem os grãos com água limpa e sem clóro. Coe e reenche de água até que ela não mude de cor (de Anderson).

O clóro tem o mesmo efeito aqui que na brassagem. Eu uso o meu filtro de carvão 10" (nada especial) mas água tratada com uma dose mínima de metabissulfito de sódio/potássio ou tiossulfato de sódio também deve servir.

Experimentei essa última vez com um banho cáustico com NaOH, como tinha lido num artigo sobre maltes de sorgo na África, mas só causou problemas.

2. Hidratar. Deixe de molho por 8 horas na água. A temperatura ideal pro milho é entre 20 e 25C, tanto da água como do ar. (de Lavery)

Lavando e trocando a água é bom não só para limpar a sujeira. Aparentemente ajuda um pouco para tirar as bactérias que vivem na superfície do grão. 8 horas nessa temperatura já é suficiente para ter problemas. Se o cheiro ficar ruim, ou a água começar a borbulhar muito é melhor começar de novo.

3. Coe e lave de novo, e deixe no ar por 8 horas.

4. Lave de novo, e deixe de molho mais uma vez por 8 horas.

Nem todos guias falam de lavar tantas vezes, mas eu prefiro não arriscar. Pode ser que estou exagerando.

5. Repita os passos 3 e 4 duas vezes. Serão 4 etapas de 8 horas na água.

Na primeira vez eu deixei de molho 4 vezes, e na segunda só 3. ~90% dos grãos germinaram a primeira vez, mais só ~60% na segunda. Não sei se tem algo a ver. Pode ter sido também o banho cáustico ou mesmo o próprio milho. Tenho ainda metade do saco original então vou poder tentar outra vez com 4.

6. Coe e deixe escorrer bem (meia hora ou mais). Não sei se vale a pena lavar uma outra vez, e não lembro se fiz isso.

Os grãos precisam estar úmidos, mas não molhados. A superfície deve estar quase seca, sem gotas de água.

7. Germinar. Espalhe numa superfície plana até formar uma camada de ~3cm. Eu uso dois sacos de lixo (limpos, obviamente) no chão, mas também serve uma forma de metal ou vidro. Se a camada for muito fina, o milho vai secar antes de ficar pronto. Se ficar muito grossa, vai aquecer muito a pilha (a germinação gera calor). Alguns grãos vão crescer demais, e no pior caso pode mofar.

Eu uso o segundo saco para cobrir. Pode usar também uma toalha úmida ou um pano, como se faz para massa de pão.

8. Quando puder, mas no mínimo cada 8h, mexa bem os grãos. Tente expor os grãos que estavam de baixo da pilha. Se as radículas(? rootlets em inglês) parecerem secas, adicione um pouco de água (sem clóro, como sempre) com um borrifador.

9. Secar. Quando o caulículo(? acrospire em inglês) parecer estar entre 1x e 2x o tamanho do grão na maioria dos grãos (vai ser bem irregular) é hora de secar. Ligue um ventilador bem em frente da pilha. O ar deve passar diretamente por cima dos grãos.

Essa parte dura 4 ou 5 dias. O grão tem que estar bem seco. Se puder, pese tudo. Deve ter menos do que no inicio. É muito importante ter o mínimo possivel de umidade antes de curar para proteger as enzimas.

Eu peguei essa dica do ventilador do artigo de Anderson.

10. Curar. Esse malte seco ("wind malt") pode ser usado, mas não vai ter aquele gosto de malte (e mais, tem um gosto e cheiro forte), e quase não vai ter cor. Por outro lado, é rico em enzimas. O que eu faço é dividir em dois: uma parte "wind malt" e a outra vai ao forno. Daí podemos curar no forno para dar um gosto mais tradicional (reaçoes de Maillard) sem ter que se preocupar tanto com as enzimas.

Para curar, o forno tem que estar bem baixo: 80-90C por duas ou três horas com algum tipo de ventilação. No meu caso eu só deixo o forno um pouco aberto. Pode experimentar com temperaturas mais altas para fazer outros tipos de malte.

Se não tiver um forno que funciona em uma temperatura tão baixa, pode experimentar deixar no sol. Eu nunca fiz isso, mas sei que outros já fizeram. Uma outra alternativa é um forninho elétrico.

11. Esperar. Espere no mínimo um mês antes de usar. Eu guardo em sacos de papel durante essa fase.
Claudio, você poderia postar a receita certinha que voce usou pra fazer essa cerveja com malte de milho? Estou querendo arricar. Você tem outras receitas com maltes de graos sem glutens? Tpo sorgo ou quinoa?

Valew
Violante está offline
dazoho Likes This 
Responder com Quote
Antigo 02-08-2014, 03:22 PM   #18
Rafaelpoa
Recipes 
 
Registo: Jul 2014
Location: Porto Alegre, RS
Msgs: 3
Liked 1 Times on 1 Posts

Default

Nossa, faz tempo que eu to atrás de descobrir sobre maltear, muito bom esse material.
Obs: o saco preto de lixo é feito com plásticos reciclados e várias porcarias que tornam ele tóxico, até o cheiro dele é ruim. Eu recomendo comprar uma lona (não preta) na ferragem.
Rafaelpoa está offline
dazoho Likes This 
Responder com Quote
Antigo 02-08-2014, 11:29 PM   #19
dcylab
Recipes 
 
Registo: Aug 2013
Location: Washington, DC, EUA
Msgs: 53
Liked 44 Times on 27 Posts
Likes Given: 1

Default

Quote:
Mensagem Original de Violante Ver Mensagem
Claudio, você poderia postar a receita certinha que voce usou pra fazer essa cerveja com malte de milho? Estou querendo arricar. Você tem outras receitas com maltes de graos sem glutens? Tpo sorgo ou quinoa?
Eu fiz uma saison com malte de milhete (vermelho, não sei o tipo exato) que comprei da companhia Colorado Malting. Ficou boa, mesmo que comecou meio estranha. O malte em sí não era o melhor--foi bem quando eles começaram a fazer maltes de outros grãos. Estava ainda com as radículas. Eu acabei limpando mais na mão para evitar o gosto estranho.

Eles me mandaram 10kg mais depois que eu reclamei (...quase um ano depois), e parece estar bem melhor agora (novo equipamento). Tou querendo fazer de novo mas eu estou sem a minha geladeira no momento. Vou ver se acho a receita.

A primeira receita com milho, para algo tipo pale ale inglês, foi:

(estou convertendo de lbs./oz./galões, é por isso que os valores ficaram estranhos...)

Para ˜3,8 litros (1 gal. US) -- original aquí http://dcylab.wordpress.com/2013/07/...d-popcorn-ale/

Malte

595 g malte de milho seco, sem curar
425 g malte de milho, curado 5 horas 77C
113 g malte de milho "crystal" -- imagino ser ˜60L

Lúpulo

9 g Fuggles 4,5%, 60 minutos
3 g Styrian Goldings 3,3%, 15 mins.
3 g Styrian Goldings 3,3%, 1 min.

A segunda receita (aquí: http://dcylab.wordpress.com/2014/01/...hefe-maisbier/ foi para uma cerveja no estilo de uma hefe-weizen, que não ficou muito boa. O malte ficou estranho porque tentei lavar com NaOH no começo, que elevou muito o pH e deixou o malte (e a cerveja) com gosto de tortilha mexicana.

Para 9.4 litros (2,5 gal US)

Malte

1,14 kg malte de milho, curado 1 hr. 87C
907 g malte de milho seco, sem curar
227 g malte de milho, curado 1 hr. 121C
85 g malte de milho crystal

Lúpulo

14 g Tettnanger 3,8%, 60 mins.

O que complica as duas receitas é a mosturação, com varias paradas (beta-glucanase, protéica, b-amylase, a-amylase) e decocção. Certo que pode fazer algo usando só uma parada (como os peruanos fazem), mas com certeza vai ficar mais grossa com amido e proteinas. De qualquer forma, mesmo com toda a complicação acaba sobrando um pouco de amido, mas não parece causar problemas no fim.

Os resultados, com fotos: http://dcylab.wordpress.com/2013/08/...t-ale-tasting/ e http://dcylab.wordpress.com/2014/05/...t-hefe-maizen/

Eu vou explicar o processo todo depois, quando eu tiver um pouco mais tempo para traduzir do inglês.

Quote:
Mensagem Original de Rafaelpoa Ver Mensagem
Nossa, faz tempo que eu to atrás de descobrir sobre maltear, muito bom esse material.
Obs: o saco preto de lixo é feito com plásticos reciclados e várias porcarias que tornam ele tóxico, até o ch
eiro dele é ruim. Eu recomendo comprar uma lona (não preta) na ferragem.
Obrigado pela dica, eu vou experimentar com uma lona.

Com certeza um saco de lixo não é a melhor superficie para fazer isso, e acho que não vou usar mais no futuro. Eu não tive nenhum problema óbvio, mas sei lá, pode até ser que sobra algo tóxico.
dcylab está offline
dazoho Likes This 
Responder com Quote
Antigo 29-09-2014, 02:52 PM   #20
EmilioMachado
Recipes 
 
Registo: Jun 2013
Msgs: 103
Liked 18 Times on 18 Posts
Likes Given: 2

Default

Sou muito tentado a fazer uma experiência dessas. Quem sabe. Mantenha-nos informados dos resultados.


EmilioMachado está offline
 
Responder com Quote
Responder
Opções
Display


Similar Threads
Tópico Autor Fórum Respostas Última Mensagem
Guia de uso do Post Mix pfmattos Geral 29 24-11-2014 08:59 AM
Cervejas com alto teor de milho ricardo Boteco 1 02-10-2013 03:58 PM


« Anterior | Seguinte »
Escolher Fórum